Tênis

Bia Haddad fala sobre crescimento do tênis feminino no Brasil e projeta Aberto da Austrália

Gazeta
Gazeta Esportiva

29 de novembro de 2021 - 06:00 - Atualizado em 29 de novembro de 2021 - 15:15

Depois de muito tempo, o tênis feminino brasileiro voltou a conquistar bons resultados. Além da inédita medalha olímpica da dupla Luisa Stefani e Laura Pigossi em Tóquio, o esporte também foi bem representado por Bia Haddad. Após começar o ano em baixa, a paulista conseguiu dar a volta por cima e sair da 359ª colocação do ranking mundial para a 82ª posição.

Em entrevista à Gazeta Esportiva, a atleta de 25 anos destacou o quanto o brilho de suas colegas elevou o nível das mulheres na modalidade e a fez crescer dentro das quadras.

“O feito da Luísa e da Laura é algo muito marcante para o tênis feminino brasileiro, algo que inspira muitas meninas, que mostra que tudo é possível, que tudo vem de muito trabalho, resiliência e entrega. Elas são meninas muito profissionais desde cedo, isso que eu acho mais importante e legal. E com certeza isso me faz acreditar cada vez mais em mim. Quanto mais menina no alto nível, a gente acaba puxando e mostra que é possível através de muito trabalho”, disse.

Ao todo, Bia conquistou 76 vitórias em 2021 e levantou o troféu de cinco torneios de nível ITF. Devido aos bons números, ela voltou a disputar as competições mais importantes e já tem presença garantida no Aberto da Austrália de 2022.

“A minha expectativa para o Australian Open é primeiro estar preparada, saudável e conseguir cada vez mais jogar comigo, não jogar olhando para o lado de fora da quadra ou para o outro lado. Cada vez mais eu estou entendendo com a minha equipe que é a Bia contra a Bia e não contra outras meninas. E, a partir disso, escolher as jogadas, ter alto nível de concentração, ter as coisas claras e executar o nível de tênis, que está alto. Venho trabalhando super bem”, projetou.

O Aberto da Austrália está programado para começar no dia 17 de janeiro, em Melbourne.