Tecnologia

Plano do Google de bloquear cookies é anticompetitivo, dizem anunciantes à UE

Reuters
Reuters
Plano do Google de bloquear cookies é anticompetitivo, dizem anunciantes à UE
Logotipo do Google em frente a códigos binários.

28 de setembro de 2021 - 15:59 - Atualizado em 28 de setembro de 2021 - 16:00

Por Foo Yun Chee

BRUXELAS (Reuters) – O plano do Google de bloquear uma ferramenta de rastreamento da web chamada cookies é anticompetitivo, disse um grupo de anunciantes, editores e empresas de tecnologia em reclamação aos reguladores antitruste da União Europeia (UE).

A reclamação pode impulsionar a investigação da Comissão Europeia sobre a privacy sandbox do Google que, segundo a empresa, poderia permitir que as empresas visassem grupos de consumidores sem identificar indivíduos.

O Google disse há um ano que iria banir alguns cookies em seu navegador Chrome para aumentar a privacidade do usuário e oferecer o privacy sandbox como alternativa.

O Movimento por uma Web Aberta (MOW) disse que a proposta dará ao Google poder de decidir quais dados podem ser compartilhados na web e com quem.

“O Google diz que está fortalecendo a privacidade para os usuários finais, mas não está. O que eles realmente estão propondo é uma festa de mineração de dados assustadora”, disse o advogado do movimento, Tim Cowen, em um comunicado.

A Comissão afirmou que vai avaliar a denúncia de acordo com os procedimentos padrão. Em junho, a comissão deu início a uma investigação sobre os serviços de tecnologia de publicidade gráfica online do Google.

O Google se ofereceu para resolver o caso na tentativa de evitar uma multa e uma investigação prolongada, disse uma fonte familiarizada com o assunto à Reuters na semana passada.

A empresa se recusou a comentar a reclamação do MOW e se referiu à uma declaração anterior, quando ofereceu concessões ao regulador de concorrência do Reino Unido, que descreveu o Privacy Sandbox como iniciativa para dar forte privacidade aos usuários e, ao mesmo tempo, dar suporte aos editores.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos também está examinando a questão, disseram fontes familiarizadas com o assunto à Reuters.

(Por Foo Yun Chee)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH8R13Q-BASEIMAGE