Tecnologia

Assistente de voz do Google está sob nova investigação antitruste da UE, diz MLex

Reuters
Reuters
Assistente de voz do Google está sob nova investigação antitruste da UE, diz MLex
Google

9 de setembro de 2021 - 11:37 - Atualizado em 9 de setembro de 2021 - 11:40

Por Foo Yun Chee e Nivedita Balu

BRUXELAS/BANGALURU (Reuters) – O Google, da Alphabet, está sendo investigado pelos órgãos reguladores antitruste da União Europeia para saber se ele está forçando fabricantes a usarem o Google Assistent como o assistente de voz padrão em dispositivos Android, segundo a agência de notícias MLex publicou nesta quinta-feira.

A Comissão Europeia afirmou em junho que a sua consulta ao setor de dispositivos conectados à internet levantou preocupações das pessoas que responderam sobre certas práticas de exclusividade relacionadas a assistentes de voz, como produtores de pequenos dispositivos impedidos de instalar um segundo assistente de voz.

Os dispositivos de voz mais populares da Europa são a Alexa, da Amazon, a Siri, da Apple, e o Google Assistant. Espera-se que o mercado global dobre para 8,4 bilhões de dispositivos, de 4,2 bilhões, entre 2020 e 2024, segundo a empresa de pesquisa de marketing Statista.

O órgão supervisor de concorrência da UE pediu que fabricantes de dispositivos forneçam qualquer evidência de que estão sendo forçados a pré-instalar o Google Assistant e se o Google quer exclusividade, banindo rivais dos dispositivos Android, disse a MLex.

O Google não tinha um comentário em primeiro momento. A Comissão se recusou a comentar e direcionou as perguntas à entrevista coletiva da principal autoridade antitruste da UE, Margrethe Vestager, em junho, sobre a consulta.

A comissão também quer saber se o Google está usando o processo de certificação para novos dispositivos para assegurar exclusividade de outras maneiras e a importância da Google Play Store para diferentes ecossistemas, afirmou a MLex.

O órgão regulador também está checando se os usuários podem usar pelo menos dois assistentes de voz ao mesmo tempo, informou a agência de notícias.

O Google já foi multado em mais de 8 bilhões de euros pela Comissão na última década em três casos separados.

A Comissão afirmou que emitirá um relatório final sobre a consulta no primeiro semestre de 2022 e, em seguida, pode ou não abrir investigações.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH880QF-BASEIMAGE