Serviços

Rodízio de água na Grande Curitiba pode mudar para 48h sem abastecimento

Nesta semana, os reservatórios de água que abastecem a capital e região metropolitana chegaram a um nível alarmante

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Rodízio de água na Grande Curitiba pode mudar para 48h sem abastecimento
Foto: Emerson Guidolin/RIC Record TV

11 de novembro de 2020 - 14:51 - Atualizado em 11 de novembro de 2020 - 15:24

Com o agravamento da crise hídrica em todo o Paraná, várias regiões que até o momento não precisaram entrar no sistema de rodízio estão prestes a iniciar o racionamento. Enquanto isso, moradores da Grande Curitiba, que convivem há meses com o fornecimento de água em dias revezados, poderão precisar enfrentar um rodízio mais severo do que o atual: de 48h sem abastecimento por 24h com água

Em meados de outubro, a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) já havia emitido um alerta para que a população contribua reduzindo o consumo, com o intuito de evitar o sistema de rodízio de água mais rigoroso. No entanto, conforme Hudson José, diretor de comunicação do órgão, nesta quarta-feira (11), a situação da capital e região metropolitana que já era alarmante chegou a um nível crucial.

“Nesta semana nós chegamos ao nível mais baixo de reservação de água nas barragens que compõem o sistema integrado da Região Metropolitana de Curitiba, chegamos a 26,92%. Isso preocupa porque se nós chegarmos a 25%, seremos obrigados a acionar o novo sistema de rodízio que prevê dois dias de fornecimento suspenso com um dia com fornecimento de água”, disse Hudson José. 

Apesar do cenário, o diretor explica que a Sanepar tem trabalhado em todas as frentes possíveis para tentar evitar o rodízio de água de 48h na Grande Curitiba.

“Isso é preocupante, mas é possível evitar. Nós trabalhamos intensamente, a Sanepar já realizou mais de 20 ações de busca de alternativas para mitigar o efeito da crise: como captação de água em fontes alternativas, em pedreiras da região metropolitana, em cava, em parques de água, como por exemplo, o parque de águas em Pinhais e outras medidas de de reestruturação da nossa rede”, completou. 

Emergência Hídrica até 2021

No dia 29 de outubro, o governo estadual prorrogou por mais 6 meses prazo de vigência do decreto que instituiu em maio a situação de emergência hídrica no Paraná. Para se ter uma ideia, de agosto a outubro, o regime de chuvas ficou entre 50% e 70% abaixo da média em todo estado, com uma situação ainda mais preocupante na Região Metropolitana de Curitiba. O déficit hídrico na região, onde o impacto no abastecimento público é mais grave, foi de 650 milímetros nos últimos 12 meses.

O Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), por sua vez, alertou que o fenômeno La Niña atingirá o sul do Brasil de forma intensa e isso irá ocasionar chuva abaixo da média durante os meses de primavera e verão

Saiba consular o rodizio de água

No site oficial da Sanepar existe três formas de consultar o rodízio de abastecimento de água em Curitiba e região metropolitana. Clique aqui e veja com funciona.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.