Serviços

Chuvas são insuficientes para alterar crise hídrica na Grande Curitiba

O nível dos reservatórios de água aumentou apenas 29,37%; a partir deste domingo (11), Bocaiúva do Sul também entra no sistema de rodízio

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Chuvas são insuficientes para alterar crise hídrica na Grande Curitiba
Foto: Larissa Ilaídes/RIC Mais

9 de outubro de 2020 - 16:54 - Atualizado em 9 de outubro de 2020 - 16:57

As chuvas que atingiram a Região Metropolitana de Curitiba (RMC) nesta quinta (8) e sexta-feira (9) não são suficientes para alterar significativamente o nível de água dos reservatórios que abastecem a capital e as cidades que compõe a Grande Curitiba.

De acordo com a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), nas últimas horas choveu 50 milímetros, o que elevou o nível dos reservatórios a 29,37%, mas esse número está muito longe de alterar o histórico de estiagem severa que afeta a RMC nos últimos 12 meses e que gerou um déficit hídrico em torno de 600 milímetros.

“Essas chuvas afastam no momento a adoção de um rodízio mais duro. Mas vamos manter o fornecimento de água a cada 36 horas em Curitiba e cidades da Região Metropolitana”, afirma o diretor de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar, Julio Gonchorosky.

Rodízio de água também em Bocaiúva do Sul

Não são apenas as barragens do sistema integrado de abastecimento da RMC que estão com níveis baixos. A falta de chuva afeta também o nível do lençol freático. Em Bocaiúva do Sul, a queda de 14% da vazão do poço que abastece a cidade, levou a Sanepar a incluir o município no rodízio da RMC a partir deste domingo (11).

A orientação é para que a população continue economizando água e priorizando o uso para alimentação e higiene pessoal, já que a previsão é de uma primavera mais seca do que nos últimos anos.