Serviços

Brasil perde 1.700 agências bancárias e demissões aumentam

Aumento nos canais digitais reflete nos espaços físicos e demissões de funcionários

Carol
Carol Machado / Estagiária da equipe de estágio sob supervisão de Guilherme Barchik com informações do portal R7
Brasil perde 1.700 agências bancárias e demissões aumentam
Marcelo Camargo/Agência Brasil

19 de fevereiro de 2021 - 08:00 - Atualizado em 19 de fevereiro de 2021 - 08:00

O Brasil perdeu 1.692 agências bancárias e postos de atendimento em 2020. O fechamento de agências e postos atingiu 8,8% de espaços que os bancos disponibilizavam no final de 2019.

O número caiu de 19.052 para 17.360, a queda confirma uma tendência já verificada em outros anos. E devido a pandemia de covid-19 esta ação foi intensificada, com a redução de espaços físicos e a tentativa de substituir quase todos os procedimentos feitos presencialmente pela internet, por meio de aplicativos.

Os dados são dos balanços a investidores publicados neste inicio de ano pelos bancos: Itaú Unibanco, Bradesco, Santander e Banco do Brasil. Os quatro maiores bancos do país. A Caixa Econômica Federal, que está na lista dos cinco grandes bancos do Brasil, ainda não divulgou seus resultados finais do ano passado.

As instituições se adaptaram ao novo cenário, inserindo novos serviços como o Pix.

Os quatro bancos juntos eliminaram 4.954 caixas eletrônicos. O número representa uma queda de 4,7% em relação aos 104,5 mil equipamentos que operavam em 2019.

E com boa parte do atendimento sendo feito pela internet, houve uma redução no quadro de funcionários dos bancos. Em dezembro, os bancos tinham juntos 10.832 menos empregados do que no ano anterior, queda de 3,2% do total de 333.387. E como consequência aumentaram os investimentos e iniciativas que envolvem os canais digitais dos bancos e novas tecnologias.

“Esse movimento permitiu que intensificássemos a racionalização da nossa rede”.

Afirmou o presidente executivo do banco, Octavio de Lazari Jr

Ele ainda diz que o banco deve continuar “aproveitando as oportunidades geradas pela mudança de comportamento dos clientes”. A estimativa para 2021 é fechar outras 450 agências.

Demissões bancárias aumentam

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) avalia que não é possível afirmar até o momento que exista uma relação direta entre o processo de implementação digital dos bancos e a redução do número de pessoas que trabalham no setor.

“O avanço dos serviços digitais nas instituições financeiras tem levado os bancos a contratarem um grande volume de profissionais, especialmente em áreas como TI e segurança contra fraudes digitais”, por exemplo. “Cada instituição financeira tem sua própria política para contratação de pessoas com base em sua visão de mercado e estratégia de negócio”.

Febraban

De acordo com o Sindicato dos Bancários de São Paulo, todos os bancos estão demitindo, descumprindo compromisso de não desligar funcionários da pandemia.

O sindicato ainda destaca que o faturamento e a base de clientes de bancos vem crescendo ao mesmo tempo em que as demissões acontecem.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.