Serviços

Alerta: População não deve utilizar água do Rio São João

As águas do rio não podem ser utilizadas até que haja a comprovação técnica da recuperação da qualidade através do saneamento (limpeza total) e dos resultados dos ensaios laboratoriais

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações da Assessoria de Imprensa
Alerta: População não deve utilizar água do Rio São João
(Foto: Divulgação / IAT)

16 de fevereiro de 2021 - 10:24 - Atualizado em 16 de fevereiro de 2021 - 10:37

O Instituto Água e Terra (IAT) alerta o acidente ambiental ocorrido no sábado (13) na BR-376, km 679, em Guaratuba, pista sentido Sul, onde um caminhão que transportava produto químico tombou e derramou grande parte de sua carga, atingindo o Rio São João. O órgão alerta para o perigo do uso e consumo da água e também de peixes oriundos desse rio.

Os fiscais do escritório local do IAT de Guaratuba iniciaram o levantamento do impacto ambiental e exigiram a implantação de medidas de contenção, limpeza e recuperação do ambiente, trabalho que cabe às empresas responsáveis pela fabricação e transporte do produto químico e suas subsidiárias (ou contratadas).

“Verificando a mortandade de peixes, foi acionada a equipe de amostragem do laboratório IAT/Curitiba, que realizou as coletas de amostras de água buscando dimensionar as alterações da qualidade da água do Rio São João”

diz o gerente de Monitoramento e Fiscalização do IAT, Álvaro Cesar de Góes.

Também por meio dos levantamentos em campo e de contato com a fabricante e a transportadora, o produto derramado foi identificado como TANALITH 60% CCA-C (nome comercial), líquido tóxico e corrosivo (Oxido de Cobre, Ácido Crômico).

Segundo o registro do Ibama (7205/04), o nome químico do ingrediente ativo é Arseniato de Cobre Cromotado, um produto de alto risco ambiental. Trata-se de um preservativo hidrossolúvel destinado ao tratamento de madeira contra agentes biodeterioradores (insetos e fungos xilófagos).

Alerta os ribeirinhos

O IAT alerta a população ribeirinha e adjacências a não utilizar as águas do Rio São até que haja a comprovação técnica da recuperação da qualidade da água através do saneamento (limpeza total) e dos resultados dos ensaios laboratoriais. O monitoramento e a fiscalização dos trabalhos de recuperação ambiental executados pelas empresas envolvidas/responsáveis serão acompanhados pelo instituto até que cessem todos os riscos à população local e aos animais aquáticos.

Proibição de uso e consumo da água

Ainda nesta segunda-feira (15), o IAT elabora uma portaria de proibição dos usos e consumo da água do Rio São João, bem como do consumo de peixes provenientes em trechos em que percorre no município de Guaratuba.

A imposição de restrições no trecho do Rio São João que passa no município de Garuva cabe às autoridades competentes do estado de Santa Catarina.

A Rodovia BR-376 é licenciada pelo Ibama, que poderia estabelecer restrições em todo o trecho afetado.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.