Violência contra criança

Homem é preso após agredir e jogar filha de 5 anos contra a parede na RMC

A mãe da menina contou que, ao chegar do trabalho, a filha contou que o pai estava embriagado e foi agredida violentamente

Daniela
Daniela Borsuk
Homem é preso após agredir e jogar filha de 5 anos contra a parede na RMC
(Foto: Portal Fazenda)

30 de dezembro de 2021 - 11:25 - Atualizado em 31 de dezembro de 2021 - 10:26

Uma menina, de cinco anos, foi agredida violentamente pelo pai e precisou de atendimento dos socorristas do Siate na noite desta quarta-feira (29), em Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba. A criança foi jogada contra a parede pelo homem após contar para a mãe que o pai estava bêbado. O suspeito foi preso.

De acordo com a Polícia Militar, a equipe foi acionada depois que vizinhos perceberam uma confusão na casa da família. A mãe da menina contou que, ao chegar do trabalho, a filha contou que o pai estava embriagado e foi agredida. Além dela, um bebê de seis meses, filho do casal, também estava com escoriações.

“Quando cheguei do trabalho, a minha filha falou: ‘mãe, o pai está bêbado’. Aí no momento, ele levantou, sacudiu ela pelos cabelos, jogou na parede e grudou no pescoço dela. Foi enforcando até que eu vi ela desmaiada”,

contou a mãe da vítima.

O homem foi preso pela PM e encaminhado para a delegacia da cidade. No local, a esposa do suspeito afirmou que esta não foi a primeira vez que o homem agrediu a família. Em um outro episódio, vizinhos tentaram separar o homem que estaria agredindo a esposa. Na situação, o suspeito pegou uma garrafa para se defender. Porém, um vizinho que estava armado, atirou contra o homem, que acabou perdendo a perna.

A mãe ainda disse em entrevista ao Balanço Geral da RICtv, que no último ocorrido o marido garantiu que iria matar a própria filha, de cinco anos. Além disso, ela afirma que ele ri da situação e diz que nunca vai ficar preso. “Ele falou que vai matar minha mãe, meus filhos, que vai me matar”, comentou a mulher.

As duas crianças foram atendidas pelos bombeiros e de acordo com o advogado Igor Ogar, serão submetidas a exames de corpo de delito para demonstrar a necessidade de prisão do pai.