Segurança

Terceiro suspeito de homicídios após confusão em parque aquático é preso ediz que foi confundido

Sidney dos Santos, de 39 anos, se apresentou na delegacia de Almirante Tamandaré acompanhado da advogada

Daniela
Daniela Borsuk / Editora com informações de William Bittar, da RICtv
Terceiro suspeito de homicídios após confusão em parque aquático é preso ediz que foi confundido
(Foto: Reprodução/ RICtv)

25 de fevereiro de 2022 - 13:01 - Atualizado em 25 de fevereiro de 2022 - 13:02

Foi preso o terceiro e último suspeito de envolvimento na morte de dois jovens, Anderson de Souza, de 29 anos, e Clemerson Carvalho dos Santos, de 31 anos, assassinados na Rodovia dos Minérios, após uma confusão registrada em um parque aquático de Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba, no dia 12 de dezembro do ano passado. Sidney dos Santos, de 39 anos, se apresentou na delegacia da cidade nesta semana, acompanhado da advogada.

Os outros dois suspeitos já haviam sido detidos. De acordo com o delegado Cassiano Aufieiro, a Polícia Civil acredita que o “crime já foi resolvido por completo“. O suspeito, no entanto, afirma que foi confundido por uma das testemunhas e que não participou dos homicídios.

“Não sei se alguém tá me confundindo, porque o Parque Aquático tinha bastante gente. Não era só eu que estava de camiseta azul lá, tinha mais gente, e tinha bem mais pessoas negras também. Ela tá batendo nesta tese que é um cara negro de cabeça raspada, então têm vários caras negros de cabeça raspada, né?!”,

argumentou.

Sidney ainda disse, em entrevista exclusiva para a RICtv, que deixou o parque aquático antes da briga entre os envolvidos acontecer: “A gente saiu bem antes da confusão, bem antes, não dava tempo de estar lá na confusão, como tão falando que eu tava na confusão, que eu tava lá de motorista, entendeu?”. A advogada do homem, Andréia Tenório, disse que pode comprovar que ele não teve participação no crime.

“Temos provas seguras de que ele não participou, inclusive vídeos dele chegando em casa por volta de 18h50, quando o fato ocorreu por volta de 18h37”,

disse a advogada.

Sidney foi reconhecido por uma testemunha como o homem que estava conduzindo o carro envolvido no homicídio. Ele diz que não dirige automóveis, apenas motos. “Nunca peguei no volante de um carro, é até vergonhoso falar isso, mas nunca peguei, nunca tive vontade, na verdade, só tenho moto”, justificou.

O suspeito foi preso temporariamente por 30 dias.

Confusão no parque aquático

Uma confusão em um parque aquático acabou com dois jovens mortos no domingo, dia 12 de dezembro de 2021, em Almirante Tamandaré. De acordo com informações da Polícia Militar (PM), logo após deixarem o local, dois casais foram alvos de tiros enquanto seguiam pela Rodovia dos Minérios.

Clemerson Carvalho dos Santos foi baleado e morreu no local. Já o amigo, que estava no banco do carona, Anderson de Souza, chegou a ser socorrido em estado grave, porém, não resistiu horas depois no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie, em Curitiba.

As namoradas das vítimas também estavam no Volkswagen Fox, no momento em que os atiradores emparelharam e dispararam com arma de fogo. As jovens ficaram bastante assustadas, porém, foram poupadas pelos indivíduos.

De acordo com a investigação, o desentendimento teve início no parque aquático, quando alguns rapazes ‘mexeram’ com as garotas. “Ela (uma das namoradas de uma das vítimas) estava com uma camisa de time de futebol no momento em que um dos rapazes mexeu com ela, com o time, e o grupo não gostou”, contou o delegado.

A PM também relatou que após o desentendimento, os rapazes conversaram e acertaram a situação, sem violência. “Eles se acertaram, conversaram, até teve aperto de mãos. Então estava tudo certo aparentemente”, contou o soldado Romualdo.

Entretanto, após saírem do parque aquático, os dois casais foram surpreendidos na Rodovia dos Minérios. Três indivíduos atiraram várias vezes contra os rapazes e fugiram.

“Houve ameaças e expressões como ‘aqui é o crime’, então foi direcionada a eles e mandaram o recado. Foi uma surpresa para as vítimas pois achavam que a situação já estava resolvida”, destacou o delegado na época.