Segurança

Suspeito de liderar facção e participar de ataque em Guarapuava é preso em SP

A prisão do suspeito aconteceu um mês após a tentativa de assalto a uma empresa de transporte de valores em Guarapuava

Daniela
Daniela Borsuk
Suspeito de liderar facção e participar de ataque em Guarapuava é preso em SP
(Foto: Polícia Militar)

18 de maio de 2022 - 11:42 - Atualizado em 18 de maio de 2022 - 11:42

Foi preso na terça-feira (17) mais um suspeito de envolvimento na tentativa de assalto a uma empresa de transporte de valores em Guarapuava, ocorrida no mês passado. O homem de 46 anos, conhecido como Máscara, foi detido na cidade de Mongaguá, na baixada santista, em São Paulo.

De acordo com a Polícia Militar do Paraná, a Diretoria de Inteligência da corporação desencadeou uma operação em conjunto com a equipe de Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) da Polícia Militar do Estado de São Paulo e conseguiu prender o suspeito.

Segundo as investigações, Máscara exercia função de liderança da facção criminosa na região do crime. Com o suspeito, foram apreendidas duas pistolas Taurus, um revólver e uma carteira de motorista falsa.

(Foto: Polícia Militar)

De acordo com as últimas informações repassadas pela Polícia Militar, além do homem preso nesta terça-feira, outros cinco suspeitos foram mortos em confronto com a PM desde a data da tentativa de assalto, registrada no dia 17 de abril.

Ataque em Guarapuava

O ataque foi registrado na noite do domingo de páscoa, em 17 de abril. O grupo estava fortemente armado, utilizou armas de grosso calibre e fugiu da cidade em direção ao interior do Paraná. A ação teve início por volta das 22h. 

Os suspeitos dispararam contra o veículo e balearam dois agentes. O cabo Ricieri foi atingido no rosto e teve a morte confirmada no dia 23 de abril. Já o soldado Bonato foi baleado na região das pernas e recebeu alta dias depois.

De acordo com a Polícia Militar, os suspeitos são membros de um grupos articulados, que agem diferente de uma facção criminosa. Segundo o coronel, os membros não permaneceram na cidade e fugiram para outros estados.