Segurança

Supostos comparsas de Camila Marodin são presos por tráfico de drogas

Investigações mostram que  durante uma ligação Camila Marodin pede ajuda a um dos suspeitos para comprar armas e um colete balístico

Mônica
Mônica Ferreira / Estagiária com informações de Vanessa Antonella, da RICtv
Supostos comparsas de Camila Marodin são presos por tráfico de drogas
(Foto: Reprodução/RICtv)

4 de abril de 2022 - 15:52 - Atualizado em 4 de abril de 2022 - 15:52

Anderson Celestino, conhecido como “Ticão” e Emanoel Monteiro, conhecido como “Maninho”, foram presos em um imóvel localizado na rua José Bajerski, no bairro Abranches, em Curitiba. Os dois, detidos por envolvimento com o tráfico de drogas, seriam comparsas de Camila Marodin.

De acordo com a equipe da RICtv, a dupla foi detida na última sexta-feira (1) e com eles a Polícia Militar (PM) encontrou uma pistola 40 milímetros e 15 munições.

Ainda de acordo com a reportagem, em março Anderson estava escondido em uma casa em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Na época, traficantes rivais teriam invadido o local e dispararam contra o rapaz, que conseguiu fugir. A PM, sem saber se o homem estava morto ou ferido, realizou buscas pelos hospitais de Curitiba e Região Metropolitana.

Segundo as investigações, em uma ligação Camila pede ajuda a Anderson para comprar armas e um colete balístico. Após a morte de Ricardo Marodin, que foi assassinado a tiros no final da festa de aniversário do filho, em um buffet infantil em Pinhais (RMC), Emanoel teria avisado Camila que ela poderia ser a próxima vítima e que deveria se armar.

Prisão de Marodin

Camila Marodin foi presa dia 10 de fevereiro suspeita de tráfico de drogas. A mulher teve a prisão preventiva decretada pela Justiça por descumprir as medidas que possibilitavam que ela estivesse fora da cadeia, em prisão domiciliar, sendo monitorada por tornozeleira eletrônica.

Registrou um flagrante? Mande para o WhatsApp do RIC Mais. Clique aqui e faça o portal com a gente!