Segurança

Quadrilha que atuava em quatro estados é alvo de operação da PF contra o tráfico

Na cidade de Foz do Iguaçu, no Oeste do Estado, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e cinco mandados de prisão temporária

Aline
Aline Cristina / Repórter com assessoria
Quadrilha que atuava em quatro estados é alvo de operação da PF contra o tráfico
(Foto: PRF)

10 de agosto de 2021 - 11:03 - Atualizado em 10 de agosto de 2021 - 11:03

Mais de 100 policiais federais e rodoviários federais foram a campo, nas primeiras horas da manhã desta terça-feira (10) para dar cumprimento a vários mandados judiciais. A ação faz parte da Operação Párvulo desencadeada em quatro estados.

Foram cumpridos doze mandados de prisão preventiva, sete mandados de prisão temporária, vinte mandados de busca e apreensão em residências e empresas nos municípios de Vitória, Guarapari, Conceição da Barra (ES), Foz do Iguaçu (PR), Imbituba (SC) e Belo Horizonte (MG), além do bloqueio judicial de contas bancárias ligadas aos investigados.

Na cidade de Foz do Iguaçu, no Oeste do Estado, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e cinco mandados de prisão temporária se pessoas que teriam participação, principalmente, na movimentação de recursos financeiros da organização criminosa.

Os investigados poderão responder pela prática do delito de Organização Criminosa, tráfico Interestadual de drogas e lavagem de capitais.

Párvulo

A Operação Párvulo teve início em 2020, com a investigação de um pessoa que supostamente comprava grandes quantidades de haxixe e drogas sintéticas (ecstasy) em Foz do Iguaçu e as distribuiria para traficantes menores em Guarapari e arredores.

Com o avanço da investigação, foi constatado um esquema refinado de tráfico de drogas, com alcance também nos Estados de Santa Catarina e Minas Gerais. Para garantir o fluxo de dinheiro necessário, diversas contas bancárias de “laranjas” em Foz do Iguaçu eram utilizadas para comprar drogas e para receber os valores decorrentes de suas vendas.

Algumas dessas contas também eram utilizadas para a ocultação dos lucros obtidos pelos investigados. Há ainda indícios de lavagem de dinheiro em negócios regulares, como a compra e venda de veículos, onde os valores auferidos ilegalmente a partir da venda das drogas seriam então regularmente inseridos na economia, com a aparência de legalidade.