Segurança

Prefeito de Itaperuçu deixa UTI e manda recado para população: “estou me recuperando”; assista

O prefeito Neneu Artigas ficou internado na UTI por mais de 20 dias, após ser atropelado em uma discussão por causa de futebol; o motorista suspeito de atingir o político segue preso

Daniela
Daniela Borsuk
Prefeito de Itaperuçu deixa UTI e manda recado para população: “estou me recuperando”; assista
A imagem possui efeito 'blur' para amenizar a exposição dos ferimentos do prefeito, internado há mais de 20 dias após ser atropelado (Foto: Reprodução/ Prefeitura de Itaperuçu)

25 de abril de 2022 - 15:41 - Atualizado em 25 de abril de 2022 - 16:27

O prefeito de Itaperuçu, Neneu Artigas, deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Evangélico de Curitiba nesta segunda-feira (25). Com a melhora em seu quadro de saúde, o político agora se recupera em um quarto do hospital. Neneu foi atropelado no dia 3 de abril em Rio Branco do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, enquanto comemorava o título estadual do Coritiba. 

Ainda nesta segunda-feira, Neneu gravou um vídeo agradecendo o apoio de amigos, familiares e de toda a população de Itaperuçu.

“Deus abençoe a todos, obrigado pela preocupação, estou me recuperando. Dentro de mais um prazo de dias aí, estamos com vocês, obrigado”,

disse ele.

Veja o vídeo divulgado pela assessoria de imprensa da prefeitura:

O empresário Carlos Eduardo Rocha, 39 anos, é o motorista suspeito de atropelar o prefeito. Ele estaria bebendo na mesma distribuidora de bebidas em que Neneu estava. Torcedor do Athletico Paranaense, ele teria acelerado com uma caminhonete contra o prefeito em uma discussão por causa de futebol. Na situação, Neneu foi atropelado e prensado contra um muro, que ainda desmoronou na cabeça da vítima. O prefeito foi socorrido com ferimentos gravíssimos e ficou na UTI durante mais de 20 dias.

Depois, Carlos deixou o local e só se entregou à polícia dois dias depois, no dia 5 de abril, ao se apresentar na Central de Flagrantes, em Curitiba. Ele alegou que estava recebendo ameaças em Rio Branco do Sul. Nos últimos dias, a Justiça negou o pedido de liberdade do empresário. A defesa justificou que o suspeito não oferece perigo e que tentou prestar socorro à vítima. Já a juíza afirmou em sua decisão que Carlos se mostrou uma pessoa perigosa, por supostamente ter tentado matar o prefeito.

Reveja o atropelamento: