Segurança

Participação de marido é descartada e polícia prende suspeito de matar mulher na frente do filho no CIC

A princípio, a Polícia Civil chegou a suspeitar de que o marido da jovem pudesse ter cometido o crime, mas os relatos de testemunhas e vídeos do local apontaram para outro homem, que foi preso nesta segunda-feira (13); assista

Daniela
Daniela Borsuk com informações de Tiago Silva, da RIC Record TV Curitiba
Participação de marido é descartada e polícia prende suspeito de matar mulher na frente do filho no CIC
(Foto: Reprodução/ RIC Record TV Curitiba)

13 de setembro de 2021 - 14:30 - Atualizado em 13 de setembro de 2021 - 14:30

Câmeras de segurança ajudaram a polícia a desvendar a morte de Bárbara de Souza, de 25 anos, assassinada com 12 golpes de faca na noite deste domingo (12). O crime foi registrado na casa da vítima, na Rua Favo de Mel, no bairro Cidade Industrial de Curitiba, na capital paranaense. A princípio, a Polícia Civil chegou a suspeitar de que o marido da jovem pudesse ter cometido o crime, mas os relatos de testemunhas e vídeos do local apontaram para outro homem, que foi preso nesta segunda-feira (13).

De acordo com a polícia, o autor do crime se trata de um conhecido da vítima e do companheiro, com quem o casal já teve discussões anteriores. Câmeras de segurança registraram o homem pulando o muro e invadindo a residência quando o marido de Bárbara deixou a casa para comprar um refrigerante. A jovem foi assassinada com diversas facadas na frente do filho, uma criança de aproximadamente três anos, que ficou com a mãe morta no cômodo até a chegada do pai. Foi o marido de Bárbara quem encontrou a criança chorando ao lado do corpo da mãe e chamou a Polícia Militar.

Veja o vídeo:

Conforme informações do delegado responsável pelo caso, Thiago Nóbrega, o estopim para o assassinato da vítima teria sido uma briga por causa de uma dívida de celular, registrada momentos antes.

“A vítima e o seu companheiro estavam na frente da residência e acabaram discutindo com um amigo deles em razão de uma dívida de um celular. Neste momento chegaram outros dois indivíduos, também conhecidos da família, todos participaram da discussão. Na sequência, esses amigos foram embora, o marido acabou saindo da residência e foi a um bar comprar um lanche […], regressou para a sua casa, comeu o lanche junto com a Bárbara, a Bárbara pediu que ele comprasse uma Coca Cola, ele saiu novamente da residência, e depois de mais ou menos meia hora, o assassino chega no local, encontra o portão fechado com cadeado, não consegue entrar, pula o muro da casa, adentra a residência, desfere 12 facadas na vítima e, na sequência, segue rumo à sua residência.”

explicou o delegado.

No entanto, apesar do estopim provavelmente ter sido a discussão, Nóbrega relatou ainda que Bárbara já possuía desavenças anteriores com o suspeito.

“Eu acredito que a motivação da morte não tenha sido em função do celular, o celular foi mais um estopim, uma outra questão que acabou culminando nessas desavenças que já existiam entre a vítima e o suspeito. Ele não gostava da vítima, não gostava do companheiro da vítima, já havia feito ameaças anteriores, inclusive com um simulacro de arma de fogo.”

afirmou Thiago Nóbrega.

Diversas testemunhas foram ouvidas e, segundo o delegado, todas viram as imagens de câmeras de segurança e foram unânimes em identificar o suspeito preso. Ele usava ainda tornozeleira eletrônica envolta em papel alumínio, para dificultar sua localização. O homem foi detido em casa e autuado em flagrante. Ele deve responder por homicídio triplamente qualificado.

Conforme o delegado, na delegacia, o suspeito preferiu ficar calado e não deu sua versão dos fatos. A faca usada no crime não foi localizada até o momento.