Notícias

“Eu jamais tive intenção de matar alguém”, disse Carli Filho em depoimento

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

28 de fevereiro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 28 de fevereiro de 2018 - 00:00

O ex-deputado disse lembrar todos os dias da tragédia. (Foto: Reprodução/RICTV)

Carli falou ter certeza que as vítimas saíram de casa sem ter a intenção de morrer, mas que ele também não tinha a intenção de cometer um crime

*Com informações de Daniel Santos, repórter da RICTV Curitiba

O depoimento do ex-deputado Luiz Fernando Ribas Carli foi marcado por pedidos de desculpa e arrependimento. Apesar de alegar que o carro das vítimas do acidente que aconteceu em 2009, Gilmar Rafael Yared, 26 anos, e Carlos Murilo de Almeida, 20 anos, cruzou a preferencial e, por isso, foi atingido pelo Passat que ele dirigia. Fernando assumiu a culpa, mas disse que nunca teve a intenção de matar alguém. “Eu tenho certeza que eles saíram de casa sem ter a intenção de morrer, mas eu também não sai com intenção de matar”, falou aos presentes. Formado em publicidade, atualmente, ele trabalha em uma das rádios da família em Guarapuava, na região dos Campos Gerais do Paraná.  

O ex-parlamentar começou dizendo acreditar que a denúncia contra ele não estava correta, já que jamais teria saído de casa com intenção de matar. Ele contou que todos os dias lembra do que fez e da tragédia que marcou tanto a família das vítimas como a sua. “Estou extremamente arrependido. […] “Eu quero dizer aqui para quem vai me julgar que eu sou culpado. Eu assumo minha parcela de culpa em tudo o que aconteceu. Agora eu jamais tive a intenção”, disse emocionado.

Maior erro da vida

“Eu errei, eu bebi e eu dirigi. […] Eu errei, foi o maior erro da minha vida. Esse erro teve consequências gravíssimas: dois jovens morreram”. Disse enquanto contava que jamais poderia prever o que o Honda Fit das vítimas fosse atravessar a preferencial.

“Eu não podia prever o que ia acontecer, eu jamais poderia imaginar que aquele carro passaria na minha frente. Ninguém poderia imaginar que o carro passaria a sua frente em uma via preferencial”, falou ao júri alegando.

Perdão às mães

“Eu sei que eu nunca tive a oportunidade de pedir desculpas para a dona Christiane e para a dona Vera. Eu quero hoje poder pedir desculpas pelo o que eu causei. Eu quase morri. Os filhos de vocês morreram. E eu quero dizer do fundo do meu coração, quero poder pedir desculpas, disse chorando às mães de Gilmar e Carlos.

Carlo e Gilmar seguiam no carro atingido por Carli. (Foto: Reprodução/RICTV)

CNH cassada e multas

Sobre as inúmeras multas registradas no Passat blindado que Carli dirigia na hora da colisão, ele diz que várias pessoas que trabalhavam com ele utilizavam o veículo e que as mais de 130 multas registradas em sua Carteira de Habilitação não teriam sido cometidas por ele sozinho. Segundo o ex-deputado, não foi dada a devida importância quando as multas deveriam ter sido transferidas para outros condutores. Ele ainda alega que nunca recebeu o comunicado de que sua CHN estava cassada por ter ultrapassado os pontos previstos na legislação de trânsito.

Assista ao vídeo do Paraná no Ar:

Leia também: 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.