Segurança

Mulher sequestrada pelo ex-marido em Maringá afirma que ainda está abalada: “Um monstro”

O sequestro aconteceu na noite do último sábado (26) e o autor chegou a ser baleado por um policial

Renan
Renan Vallim / Repórter com informações de Evandro Mandatori, da RICtv
Mulher sequestrada pelo ex-marido em Maringá afirma que ainda está abalada: “Um monstro”
Ainda muito abalada, a vítima falou pouco para a reportagem da RICtv | Foto: Reprodução/RICtv

2 de março de 2022 - 14:01 - Atualizado em 2 de março de 2022 - 14:01

A mulher que foi sequestrada pelo ex-marido em Maringá no último final de semana ainda está abalada com todo o ocorrido. Em entrevista para a RICtv, ela não quis falar muito, mas resumiu o perfil do antigo esposo.

“Eu conheço os dois lados dele: bom, alegre, divertido… e um monstro”

Vítima

O sequestro aconteceu na noite do último sábado (26). Segundo a Polícia Militar (PM), o homem de 34 anos foi, na tarde de sábado, até o salão de beleza que a mulher trabalha. Ele obrigou a ex-mulher, de 39 anos, a entrar no seu carro e levou-a para um motel na cidade de Mandaguaçu, região metropolitana de Maringá, onde teria a estuprado.

Pessoas que estavam no estabelecimento e viram a cena avisaram familiares da mulher, que tentaram conversar com o homem e convencê-lo a libertar a vítima. Eles conseguiram convencer o homem a levar a mulher para a casa da mãe dela.

A PM foi acionada e conseguiu abordar o homem no momento em que ele deixava a mulher no local combinado. No entanto, ele entrou em luta corporal com um policial e tentou fugir. O policial sacou a arma e atirou no pé do homem, que então pode ser contido.

O homem deverá responder por sequestro, cárcere privado, ameaça, lesão corporal e descumprimento de medida protetiva.

“Ela pediu ajuda”

A mãe da vítima, que não quis ser identificada, explicou que a mulher já sofre com o comportamento do homem há anos. “Ela já ligou para mim chorando. Ela pediu ajuda, dizendo ‘eu sei que eu tenho que lutar, por mim e pelos meus filhos, mas eu não consigo, não tenho força’. Ele entrou no psicológico dela de um jeito muito forte”.

A mãe ainda falou sobre comentários contra a filha que foram feitos sobretudo em redes sociais.

“Pessoas se perguntaram ‘por que ela não foge, não corre?’. Porque ela está cansada de correr. O que nós temos que fazer é ajudar ela e dizer que não está tudo perdido. Porque às vezes ela acha que está tudo perdido”.

Mãe da vítima

Duas invasões

Esta não é a primeira vez que o homem provoca um episódio de violência contra a ex-mulher. Em dezembro de 2021, ele já havia invadido o salão de beleza em que ela trabalha e a agredido.

A mulher teve traumatismo craniano e, por conta disso, a Justiça concedeu a ela uma medida protetiva contra ele. A agressão foi gravada por câmeras de segurança.