Segurança

Imagens que mostram GM atirando contra jovem no Largo da Ordem são divulgadas; assista

O caso foi registrado na madrugada do dia 11 de setembro do ano passado, mas os vídeos só foram liberados mais de quatro meses depois; jovem não resistiu aos ferimentos

Daniela
Daniela Borsuk com informações da RICtv
Imagens que mostram GM atirando contra jovem no Largo da Ordem são divulgadas; assista
(Foto: Reprodução/ RICtv)

28 de janeiro de 2022 - 20:19 - Atualizado em 28 de janeiro de 2022 - 20:25

Foram divulgadas, nesta sexta-feira (28), imagens de câmeras de monitoramento da Prefeitura de Curitiba que mostram o momento em que um guarda municipal atirou contra o jovem Matheus Noga, de 22 anos, no Largo da Ordem, no Centro da capital. O rapaz chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. O caso foi registrado na madrugada do dia 11 de setembro do ano passado, mas os vídeos só foram liberados mais de quatro meses depois (veja abaixo).

Nas imagens, é possível ver o momento em que o guarda municipal Alessandro Toso atira contra pessoas que estavam no centro histórico, dando início a uma correria. Conforme as investigações, o agente disparou duas vezes, um deles com munição não letal e outra, que atingiu a vítima, com munição letal. No vídeo, Matheus é visto caído na sequência, já ferido, sendo amparado por amigos.

Veja as imagens:

A advogada da família do jovem, Eliana Faustino, relatou que os familiares querem Justiça e que o guarda municipal precisa ser responsabilizado pela ação.

“Profissional, uma pessoa concursada que foi aprovado em um concurso e recebeu um treinamento para isso, ele tem responsabilidade sobre que tipo de munição ele carrega na arma dele”,

disse ela.

O agente Toso segue afastado da Guarda Municipal e teve sua arma recolhida. Conforme o advogado do homem, Edson Facchini, a situação se tratou de um acidente.

“O Guarda Municipal, mais uma vez, age corretamente como manda o figurino, volta à viatura, faz a troca de munição, e faz dois, apenas dois disparos para dispersar. Mas tinha um grupo grande de pessoas que ainda ficava perto, e não tem som, não tem áudio neste vídeo, mas que ainda assim xingavam, ameaçavam e atiravam garrafas contra a Guarda, testemunhas disso foram ouvidas no inquérito policial. Por uma fatalidade, um acidente, esse segundo disparo foi com uma munição letal que, infelizmente, veio acertar na vítima”,

afirmou o advogado.

Na situação, que era uma ação de fiscalização durante a pandemia da Covid-19 e tinha como intuito dispersar as aglomerações na capital, além de Matheus, outras duas pessoas – uma mulher, de 31 anos, e a filha, de 14 anos – ficaram feridas, mas sem riscos à vida. Na época, a Guarda Municipal informou que a confusão aconteceu depois que populares começaram a atirar garrafas contra a equipe.