Segurança

Idoso procura a filha adolescente de 13 anos sumida há dois meses, na RMC

José distribuiu cartazes com a foto da filha por todo lugar que pôde; ele quer saber se a jovem está bem e que volte para perto da família

Giselle
Giselle Ulbrich com informações da repórter Thais Travençoli

7 de setembro de 2021 - 17:00 - Atualizado em 7 de setembro de 2021 - 17:00

A família de Sara Maria Machado Rosa, 13 anos, está em busca da jovem, que está há mais de dois meses desaparecida. O pai dela, José Rosa, 78 anos, já distribuiu cartazes com a foto da menina por muitos lugares e até à Justiça ele já pediu ajuda.

José contou à repórter Thais Travençoli, do Balanço Geral Curitiba, que a filha desapareceu no dia 29 de junho. Logo que ele soube do sumiço procurou o Ministério Público, no dia 19 de julho, para comunicar o fato. Os pais de Sara são separados há cinco anos e desde janeiro ele não conseguia falar com a filha, nem com a ex-mulher, pois não sabia para onde elas tinham se mudado. Quem tinha a guarda da jovem era a mãe, que deixou a menina sob os cuidados de um casal, num lar temporário.

Foi deste local no bairro Santa Luzia, em Quatro Barras, que Sara fugiu pulando a janela, na madrugada de 29 de junho. Acredita-se que ela tenha pego um carro de aplicativo para ir embora. Dois dias antes, ela foi vista na rua, no bairro Borda do Campo, na cidade, com dois rapazes mais velhos. Um deles, acredita-se, era namorado dela.

Uma decisão da Vara de Infância e Juventude de Campina Grande do Sul pode explicar o motivo do sumiço. A responsável pelo lar temporário informou que, no dia seguinte à fuga da jovem, haveria uma reunião com o Conselho Tutelar, no qual Sara acreditava que seria mandada para um abrigo. E como ela não queria nem ir para abrigo, nem ficar com o pai, pode ser que tenha sumido por isto.

Sara também relatou à responsável pelo lar temporário, enquanto estava hospedada lá, que apanhava muito do pai. Tanto que a mãe de Sara tem uma medida protetiva contra José, pelas agressões. Já o pai, no entanto, nega violência contra as duas, principalmente a filha.

“Só quero saber onde ela está, se está bem. Quero que estude, tenha um bom futuro, que possa se sustentar”,

suplicou o pai.

A Justiça expediu mandado de busca e apreensão da jovem. Quem tiver informações sobre o paradeiro de Sara, pode informar a Polícia Militar, pelo telefone 190, ou à produção do programa Balanço Geral Curitiba, pelo telefone (41) 99926-1598.

Assista à reportagem no Balanço Geral: