Segurança

Homem que estava com criança desaparecida confessa relação sexual: “só um dia”

A menina foi encontrada em uma pensão de Arapongas, depois de ficar desaparecida por seis dias

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações de Lívia Oliveira, da RIC Record TV Londrina
Homem que estava com criança desaparecida confessa relação sexual: “só um dia”
Foto: Reprodução/Polícia Civil/Luís Melo

18 de outubro de 2021 - 13:03 - Atualizado em 18 de outubro de 2021 - 15:54

Após a criança de 11 anos desaparecida em Arapongas ser localizada pela Polícia Civil, no sábado (16), Italo Nakao prestou depoimento na delegacia da cidade. O homem, de 25 anos, estava mantendo a menor em uma pensão de Arapongas desde o dia 11 de outubro. Questionado se os dois haviam mantido relação sexual, ele confessou ter praticado o ato na terça-feira (12).

O rapaz falou que a garota estava lá por vontade própria e que ela havia dito já ter 15 anos. Os dois se conheceram por meio de um aplicativo de mensagem em que trocaram as primeiras informações pessoais. A menor teria pedido para ficar em sua casa por dois dias, na mesma data em que a família comunicou seu desaparecimento, em 11 de outubro.

“Eu mandei ‘oi’, ‘tudo bem?’, ‘você é casada?’, […]. Na mensagem, ela falou que não era. Ela perguntou minha idade e eu falei. Aí ela falou a dela, […] 15”,

explicou Italo.

A garota ficou com o homem, na pensão, por seis dias. Italo disse que um parente dele levou até ela diversos alimentos, que “não deixou faltar nada”. Questionado se haviam mantido relação sexual, Italo falou “só um dia”. Ele continuou explicando que, mesmo que os dois tenham ficado juntos pela semana, a menina estava menstruada e esse seria o motivo para terem tido relação uma vez.

Em entrevista à RIC Record TV Londrina, a menina, na presença dos pais, afirmou estar arrependida pela fuga e confirmou o fato de ter pedido abrigo ao homem. A decisão foi tomada depois de uma discussão com o pai sobre o uso do celular. A garota não teria gostado das novas regras impostas pela família.

“Eu só queria pedir desculpa e falar que eu estou muito arrependida do que eu fiz”,

disse a menor.

Italo, que trabalha como pintor, testou positivo para covid-19, assim que foi capturado na casa de sua avó. Ele foi preso por subtração de incapaz e informou que não tinha conhecimento das buscas pela menor. No depoimento, se defendeu garantindo que pediu para que a menina entrasse em contato com o pai. O caso também está sendo investigado pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria).