Segurança

Homem que causou acidente que matou mulher na CIC diz que bebeu ‘apenas’ três latas de cerveja

Motorista prestou depoimento e confessou que estava em alta velocidade no momento da batida

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações de William Bittar, da RICtv
Homem que causou acidente que matou mulher na CIC diz que bebeu ‘apenas’ três latas de cerveja

29 de março de 2022 - 11:00 - Atualizado em 29 de março de 2022 - 11:00

Hiago Gustavo Rosário Tavares, de 28 anos, motorista que provocou o acidente que matou Eunice Cordeiro da Cruz, de 53 anos, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), prestou depoimento na delegacia na segunda-feira (28). Ele disse ao delegado que bebeu ‘apenas’ três latas de cerveja. 

Tavares, que já tem passagens pela polícia por embriaguez ao volante e receptação de mercadorias roubadas, confessou que estava em alta velocidade durante o acidente na manhã de sábado (26). O motorista estava com a carteira suspensa e se negou a entregá-la para polícia. Ele furou a preferencial e atingiu o carro de Eunice, que não resistiu ao impacto da batida. Assista ao vídeo: 

Após o acidente, Hiago chegou a ser levado ao hospital e se negou a fazer o teste do bafômetro. A velocidade permitida na rua por onde ele transitava é de 40 quilômetros por hora, mas no depoimento ele afirma que estava a 80 quilômetros por hora. 

Na tarde de ontem (28), Hiago passou por uma audiência de custódia. A justiça determinou uma fiança de R$ 20 mil e a utilização de tornozeleira eletrônica. O suspeito alega que não tem a quantia e deve permanecer por mais alguns dias na prisão. 

A possibilidade de Hiago Gustavo Tavares deixar a prisão, preocupa os familiares de Eunice Cordeiro da Cruz. O filho da vítima, Leandro da Cruz Cardoso, diz que o sonho de sua mãe foi interrompido pelo acidente. 

“O sonho dela era ser enfermeira e ela estava atrás disso. Trabalhava das 7h às 16h. Saía do trabalho e ia para escola até 23h, voltava para casa e fazia tudo de novo. Ela estava muito feliz!”, conta o filho. 

Para a juíza, o motorista alegou que não sabia da suspensão da sua habilitação. Ele pode deixar a prisão nos próximos dias e responder pelo crime em liberdade. 

“Nós não podemos fazer nada com as nossas mãos. Esperamos que a justiça seja feita”, desabafa o filho da vítima. 

De acordo com o delegado Leonardo Carneiro, o condutor deve responder por homicídio culposo.