Segurança

DH investiga participação de outra pessoa em chacina durante confraternização

O principal suspeito do crime já foi identificado no dia do crime, João Paulo da Silva, ex-companheiro de Michele, está sendo procurado

Aline
Aline Cristina / Repórter
DH investiga participação de outra pessoa em chacina durante confraternização
(Foto: Rodrigo Lima/RICtv)

3 de março de 2022 - 14:10 - Atualizado em 3 de março de 2022 - 14:10

A Delegacia de Homicídios investiga se há a participação de uma segunda pessoa na chacina que aconteceu em Cascavel, no Oeste do Paraná, em 21 de fevereiro. No dia do crime, cinco pessoas estavam em uma confraternização, em um casa, no Bairro Brasília, quando foram surpreendidas pelo atirador que entrou no local e iniciou os disparos

O principal suspeito do crime já foi identificado no dia do crime, João Paulo da Silva, ex-companheiro de Michele, está sendo procurado. Segundo o delegado, a investigação aponta que mais uma pessoa participou do crime.

(Foto: divulgação PM | João Paulo suspeito do crime)

“Temos a linha de investigação desde o dia do crime. A gente tem a informação que havia mais uma pessoa prestando apoio nesta situação, que já foi identificado. Agora tentamos cruzar as informações, para saber se realmente há o envolvimento desta segunda pessoa.”

Diego Valim – Delegado da Delegacia de Homicídios

Segundo o delegado, o alvo principal do atirador era Michele.

“Já havia alguns boletins da vítima e do autor por violência doméstica, mas não havia medida protetiva contra ele.”

Diego Valim – Delegado da Delegacia de Homicídios

Vítimas

Micheli Petrazzini de Mattos, Robson Munari, Thais Fernanda dos Santos Amaral e Renato Augusto Strotkamp foram feridos. Renato não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Fernanda, Robson e Micheli foram atingidos com disparos na cabeça e foram socorridos pelo médico e socorristas do Siate. Todos foram levados em estado grave para o hospital

Na manhã de terça-feira (22), Michele, que havia sido transferida para o Hospital Bom Jesus de Toledo, passou por cirurgia, mas não resistiu e também morreu. No dia 23, Robson Munari e Thais Fernanda dos Santos Amaral também faleceram.

O filho de Thais, um adolescente de 16 anos, também estava na casa, mas no momento do tiroteio estava no banheiro e não foi encontrado pelo homem. 

Registrou um flagrante? Mande pro WhatsApp do RIC Mais clicando aqui e faça o portal com a gente!