Segurança

Desmatamento: Paraná aplica R$ 1 milhão em multas e apreende madeira nativa em operação

Equipes policiais e agentes ambientais apreenderam retroescavadeiras e tratores usados na derrubada de árvores

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais Com informações da Agência Estadual de Notícias
Desmatamento: Paraná aplica R$ 1 milhão em multas e apreende madeira nativa em operação
(foto: PMPR)

31 de agosto de 2021 - 22:27 - Atualizado em 31 de agosto de 2021 - 22:27

A região Sudoeste do Paraná foi alvo da Operação Nascente Viva, do Batalhão de Polícia Ambiental-Força Verde (BPAmb-FV) e do Instituto Água e Terra (IAT). A operação, desencadeada nesta terça-feira 931), teve objetivo de atender denúncias de pontos de mata ciliar que estavam sendo explorados ilegalmente.

Em uma semana, as equipes policiais e agentes ambientais emitiram 60 autos de infração ambiental, oito termos circunstanciados e encaminharam quatro pessoas à delegacia. Ao todo, R$ 1.067,800,00 foram aplicados em multas aos infratores.

Após denúncias de crimes ambientais, a 5ª Companhia do Batalhão Ambiental e os escritórios do IAT de Pato Branco e Francisco Beltrão fizeram um planejamento para que as equipes pudessem verificar os danos às áreas de proteção permanente, principalmente pontos de mata ciliar e beira de riachos, rios e encostas.

A operação teve início no dia 23 de agosto e fim no último sábado (28), com 107 denúncias atendidas e 35 ocorrências com supressão de nascentes ou destruição de Área de Proteção Permanente (APP). Ao todo, foram emitidos 51 ofícios de informação de crimes ambientais ao Ministério Público.

Segundo o subcomandante da 5ª Companhia do Batalhão, tenente João Vitor Arnas de Miranda, a unidade contou ainda com apoio de efetivos do 3º Batalhão, que atende Pato Branco e região, e do 21º Batalhão, que abrange Francisco Beltrão e região, para reforçar as ações.

“As apreensões e encaminhamentos foram uma resposta diante da demanda crescente de denúncias que temos recebido sobre questões ambientais na região Sudoeste. O que nos chamou a atenção foi o valor arrecadado com a aplicação das multas, mais de R$ 1 milhão, o que demonstra nossa capacidade de atendimento e verificação das denúncias pelo Disque Denuncia 181”, explicou.

De acordo com o engenheiro florestal e agente de fiscalização Escritório Regional do IAT em Pato Branco, Jean-Pierre Brandelero França, existe uma preocupação quanto aos recursos hídricos e seus fluxos superficiais, tendo em vista a crise hídrica, que aponta reflexos nas áreas rurais e urbanas.

“Não se trata da primeira vez nem do único programa de operação conjunta visando melhorias da conservação da natureza”, destacou. Ele citou as Operações Mata Atlântica em Pé, que também é feita em conjunto com o Ministério Público estadual.

Durante vistoria em propriedades e áreas desmatadas, os policiais militares e agentes do IAT encontraram maquinário para extração e limpeza de terreno, madeira cortada, lenha e carvão. As equipes apreenderam 13 metros cúbicos de araucária, 53 metros cúbicos de lenha nativa, 64 sacos de carvão in natura e uma serraria móvel.

Também houve a apreensão de três retroescavadeiras, dois tratores de esteira e dois tratores. Além disso, os policiais e integrantes do IAT também encontraram estabelecimentos clandestinos instalados provisoriamente na mata.

“Algumas dessas denúncias davam conta de atividades comerciais potencialmente poluidoras e foram interditadas carvoarias e apreendida uma serraria móvel para fazer o beneficiamento de algumas madeiras extraídas irregularmente na região. Durante as abordagens foram encontradas três carvoarias e uma pedreira, todas sem documentação legal para funcionamento”, explicou o tenente Arnas.

Os pontos foram interditados e os responsáveis multados. Somando essas áreas e outras em que foi constatada a destruição de mata silvestre, 95 hectares degradados foram embargados.