Segurança

Criança salva pai de incêndio em tapeçaria no centro de Londrina

A criança, que tem 10 anos, havia saído antes das chamas começarem; ao voltar ao comércio, viu o local pegando fogo e entrou para salvar o pai

Bruna
Bruna Melo / Repórter com informações de Rafael Machado, da RIC Record TV Londrina
Criança salva pai de incêndio em tapeçaria no centro de Londrina
Filha ampara pai após salvá-lo de incêndio no centro de Londrina. Foto: Rafael Machado

11 de agosto de 2021 - 11:34 - Atualizado em 11 de agosto de 2021 - 12:26

Uma criança de 10 anos salvou o pai após a tapeçaria em que eles estavam ser atingida por um incêndio no centro de Londrina, entre as ruas Uruguai e Jorge Velho, na manhã desta quarta-feira (11). O homem de 66 anos inalou fumaça e não conseguia sair do comércio. A garota segurou o pai nos braços e o arrastou até a calçada, impedindo que ele perdesse a consciência em meio ao fogo.

O incêndio começou no teto da tapeçaria e se alastrou pela estrutura. Um carro que estava no local foi consumido pelas chamas. A garota havia saído e, ao retornar, viu o comércio tomado pelo fogo. Ela entrou e encontrou João Oliveira sem forças, devido à quantidade de fumaça que respirou. Sozinha, a criança arrastou o pai e o amparou, na calçada.

“Ele estava lá debaixo da fumaça . Aí eu peguei ele, falei ‘pai, sai daí’ e levei ele. Porque se ele não tivesse saído, ele teria desmaiado. […] Meu coração começou a acelerar. Eu tenho medo do meu pai morrer. Eu pensei ‘se ele fosse embora eu não teria nada pra mim'”,

a criança conta emocionada.

João foi atendido pelo Siate e encaminhado ao Hospital Universitário de Londrina, mas não teve ferimentos graves. Ele faz tratamento de câncer e tem dificuldades para respirar. Algumas horas depois, recebeu alta médica.

“Nessa hora você vê tudo, você vê a morte, você vê os outros se queimando. É impressionante, você vê uma coisa que não existe. A preocupação toma conta de você. Eu acredito que de nervosismo você morre”,

relata João Oliveira.

O irmão de João, Juracir de Souza, que é o dono da tapeçaria, conseguiu se salvar.