Notícias

Cinco pessoas apreendidas e agências bancárias depredadas em protesto contra a Copa

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

16 de junho de 2014 - 00:00 - Atualizado em 16 de junho de 2014 - 00:00

Durante a manhã, protesto contra a homofobia lembrou países que tem pena de morte para homossexuais

Foto: Vagner Rosario/Futura Press/Estadão Conteúdo

Aproximadamente 300 manifestantes, contrários à realização da Copa do Mundo no Brasil, reuniram-se nesta segunda-feira (16) na Boca Maldita, no centro de Curitiba. A capital paranaense foi palco da disputa entre Irã e Nigéria, que se enfrentam na Arena da Baixada. De acordo com a assessoria de comunicação da Central da Copa em Curitiba, cinco pessoas foram apreendidas pela Policia Militar e encaminhadas para a Polícia Civil.

O grupo seguiu em direção ao estádio e no trajeto algumas ruas foram interditadas.  No cruzamento entre as ruas Desembargador Westphalen e Visconde de Guarapuava, o tráfego foi interrompido com lixo espalhado e queimado. Os ativistas também bloquearam a esquina da rua Desembargador Westphalen com a Avenida Iguaçu e a esquina da Rua Marechal Floriano Peixoto com a Sete de Setembro, ao lado do Shopping Estação. Uma agência do HSBC e algumas lojas foram depredadas e ônibus foram pichados.

Os protestos foram acompanhados pela Polícia Militar e a Guarda Municipal de Curitiba. A Companhia de Choque da PM chegou a bloquear o cruzamento entre as ruas Desembargador Westphalen e Getúlio Vargas para evitar que os manifestantes se aproximassem da Arena da Baixada.

O ato foi organizado pela internet e até o início da tarde contava com a confirmação de mais de 2 mil pessoas. “Este é um momento decisivo para o povo. Ou somos coniventes ou somos combatentes quanto à Copa do Mundo no Brasil”, dizia a descrição do evento Não vai ter Copa.

A intenção dos manifestantes é mostrar a indignação com a organização do Mundial, com ênfase nas remoções de famílias para dar espaço às grandes construções e nas mortes em acidentes de trabalho em canteiros de obras da Copa: três em São Paulo, quatro em Manaus, uma em Brasília e uma em Cuiabá.

Contra a homofobia

Durante a manhã desta segunda-feira (16) a Boca Maldita foi palco de outro protesto, motivado pelo jogo entre Irã e Nigéria. Mas desta vez o foco da manifestação não era a Copa do Mundo e sim a luta contra a homofobia em alguns países que participam da Copa.

Irã e Nigéria fazem parte do grupo de 7 países do mundo que tem pena de morte para homossexuais. Por conta disso, o jogo está sendo apelidado por ativistas de “o jogo da morte”.

No protesto no Centro da capital paranaense, os militantes colocaram uma enorme bandeira do movimento gay na fachada de um prédio e enforcaram dois bonecos, um representando Irã e outro, a Nigéria. Confira abaixo a reportagem com as imagens do protesto: