Segurança

Caso guarda-roupas: Márcio é condenado a 31 anos e 4 meses de reclusão

Réu confesso disse à polícia, na época, que comprou guarda-roupas exclusivamente para esconder o corpo da vítima

Giselle
Giselle Ulbrich
Caso guarda-roupas: Márcio é condenado a 31 anos e 4 meses de reclusão

21 de outubro de 2021 - 19:11 - Atualizado em 22 de outubro de 2021 - 13:58

Márcio dos Santos foi condenado a 31 anos, 4 meses e 15 dias de prisão pelo assassinato de Gisele dos Santos, 26 anos, ocorrido em abril, em Cascavel, no oeste do Paraná. O júri popular do caso, que ficou conhecido como o “crime do guarda-roupas”, ocorreu nesta quinta-feira (21), na cidade.

Gisele conheceu Márcio num aplicativo de relacionamentos e foi morta no primeiro encontro que teve com ele. Márcio contou depois à polícia que comprou um guarda-roupas exclusivamente para o crime. Depois de matar Gisele por asfixia, colocou o corpo dela amarrado dentro do guarda-roupa e chamou um frete, para transportar o objeto até a área rural de Cascavel, onde foi encontrado.

Em parceria, a RIC Record TV Oeste e o portal RIC Mais fizeram uma entrevista exclusiva com Márcio, no presídio em Marechal Cândido Rondon, onde ele está recolhido. Confira a reportagem especial.

Poucas horas depois do achado de cadáver, Márcio foi preso e confessou o crime. No júri desta quinta-feira (21), Márcio respondeu pelos crimes de homicídio, furto e ocultação de cadáver. A defesa dele já informou que não vai recorrer da sentença. Desde que iniciou a pandemia, este foi o primeiro júri presencial a acontecer em Cascavel.