Assassinatos

“Tem que apodrecer na cadeia”, filho de ex-prefeito de Campo Magro se revolta após assassinato do pai

Suspeito pelo crime já tinha passagens e foi preso pela Polícia Civil; mãe do indivíduo revela injustiça e diz que jovem “não é capaz de matar uma mosca”

Guilherme
Guilherme Becker / Editor com informações de Tiago Silva e Raphael Augustus, da RICtv
“Tem que apodrecer na cadeia”, filho de ex-prefeito de Campo Magro se revolta após assassinato do pai
José Antônio Pase foi prefeito de Campo Magro entre 2009 e 2012 (Foto: Reprodução/ Redes Sociais)

13 de maio de 2022 - 08:49 - Atualizado em 13 de maio de 2022 - 08:49

O filho do ex-prefeito de Campo Magro ficou indignado com a brutalidade da morte do pai nesta quinta-feira (12), na Região Metropolitana de Curitiba. O corpo de José Antônio Pase foi encontrado com ferimentos de arma branca e com uma corda no pescoço, dentro do próprio veículo, em frente a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). O motorista que conduziu o carro até o local confessou o crime.

Amarildo Pase estava bastante abalado no momento em que encontrou o veículo do pai, com a vítima já sem vida. Ao receber a notícia que o suspeito pelo crime havia sido preso, o homem ficou revoltado.

“Muita dor. Tem uns vagabundos desse. Ele tem que apodrecer na cadeia, tem que morrer um cara desse na cadeia”,

declarou o filho do ex-prefeito.

Mais tarde, já na delegacia, enquanto aguardava os documentos para a liberação do corpo, Amarildo voltou a mostrar insatisfação ao encontrar a mãe do suspeito e os advogados do jovem.

“Estou revoltado porque é meu pai que está morto neste momento. Cheguei aqui agora na delegacia, para pegar o papel para tirar o corpo do meu pai. Agora já tem advogado aqui, já tem a mãe do matador para tirar ele daqui”,

falou Amarildo.

Investigação morte de ex-prefeito de Campo Magro

De acordo com a investigação da Polícia Civil, o jovem de 20 anos que conduziu o veículo de José Antônio até a UPA é o principal suspeito pelo crime. O rapaz teria abordado o ex-prefeito e desferido golpes de faca. Na sequência, a vítima foi colocada dentro do porta-malas do próprio veículo.

Enquanto o suspeito seguia com o corpo da vítima no veículo, o rapaz teria sentido arrependimento e colocou o ex-prefeito no banco de trás do carro. Além disso, dirigiu até a frente da UPA, onde deixou o automóvel.

“Segundo o que ele falou até o momento , ele golpeou o ex-prefeito por duas vezes, com golpe de faca, após um desentendimento entre os dois. Colocou o prefeito no porta-malas do veículo, para tentar sumir com o corpo, mas no meio do caminho acabou se arrependendo. Trouxe o prefeito para dentro do veículo, não mais no porta-malas, e trouxe para a Unidade de Saúde”,

contou o delegado Cassiano Aufieiro.
(Foto: Reprodução/ RICtv)

Apesar de ter confessado o crime e contado detalhes informalmente, por orientação dos seus advogados, Diego manteve-se em silêncio no interrogatório formal na delegacia. Diante disto, a defesa de Diego emitiu uma nota oficial, assinada pelos advogados Caio Percival e Paulo Veiga. Segue na íntegra:

“Com relação ao fatídico episódio que vitimou o ex-prefeito da cidade de Campo Magro/PR, Sr. José Pase, na data de hoje, a Defesa Técnica do suspeito, Diego de Jesus da Silva, vem a público esclarecer os seguintes pontos:

  1. O trágico episódio ocorrido neste dia, que acabou por ceifar a vida do ex-prefeito do município de Campo Magro, não é evento que comporte indiferença destes causídicos, motivo pelo qual prestamos as nossas condolências aos seus familiares, amigos, e todas as pessoas afetadas pelo drama.
  2. Destaca-se, ainda, que a atuação da defesa técnica não visa, por nenhum meio, turbar ou impedir o curso investigatório, visando, por outro lado, velar pelos direitos do acusado, além, é claro, de buscar esclarecer
    melhor os fatos.
  3. Quanto a versão do acusado sobre as circunstâncias que orbitam ao entorno do incidente, por orientação destes Procuradores, Diego manteve-se silente, neste primeiro momento, não podendo seu silêncio reverberar no curso das investigações em seu prejuízo, conforme garantia constitucional.”

Mãe de suspeito revela injustiça

A mãe do jovem, dona Divonete da Veiga, esteve na delegacia após receber a informação que o filho havia sido preso. A mulher revelou que justiça deve ser feita, pois o filho dela só queria ajudar o ex-prefeito.

“Ele foi ajudar, achando que estava ajudando e foi preso. Ele não era capaz de matar ninguém, não mata uma mosca. Ele tem ideia de uma criança. Ele nunca fez nada disso, de crime. Não pode ser o meu filho, ele só foi ajudar”,

declarou Divonete da Veiga.

O rapaz foi preso e encaminhado à delegacia de Almirante Tamandaré.