Assassinatos

Prints mostram última conversa de lutadora encontrada morta em porta-malas

Michelle Caroline Chinol revelou, nas mensagens, que perdeu uma bolsa em que levava R$ 11 mil

Isadora
Isadora Deip / Estagiária com informações de William Bittar e supervisão de Daniela Borsuk
Prints mostram última conversa de lutadora encontrada morta em porta-malas
(Foto: Divulgação/RICTV)

18 de fevereiro de 2022 - 21:20 - Atualizado em 21 de fevereiro de 2022 - 10:14

O corpo da motorista de aplicativo Michelle Caroline Chinol, de 38 anos, foi encontrado dentro do porta-malas de um carro guinchado, na noite da última quarta-feira (16). A RICtv teve acesso a prints das últimas mensagens enviadas pelo celular dela, em um grupo que mantinha com duas amigas. A polícia acredita que já não era a lutadora de MMA respondendo as mensagens.

Segundo informações do repórter William Bittar, até o momento, as investigações descartam a possibilidade de crime passional, já que a família da vítima relata que ela não mantinha nenhuma relação amorosa. No entanto, a Polícia Civil deve investigar um rapaz com quem Michelle estava saindo recentemente.

Uma pessoa do círculo de amizades de Michelle, que preferiu não se identificar, contou que a lutadora enfrentava problemas financeiros, e chegou a fazer uma “vaquinha” em janeiro para arrecadar R$ 2.500. O preço da gasolina, segundo a própria vítima, estava afetando a rentabilidade do seu trabalho e, a partir daí, ela começou a emprestar dinheiro de algumas pessoas para pagar contas.

Ainda segundo a amiga, Michelle chegou a emprestar uma quantia de aproximadamente R$ 11 mil, e esse dinheiro estaria com ela na segunda-feira (14), dia em que manteve contato com a família pela última vez. Uma das hipóteses investigadas é a de que Michelle teria se envolvido com um agiota, que emprestou dinheiro a ela.

Mensagens

A mulher teria saído para almoçar com uma pessoa na segunda. No trajeto de volta para casa, ela contou para uma amiga que havia perdido a bolsa que continha os R$ 11 mil. Ela disse que não acreditava que a pessoa com quem estava saindo tivesse pegado a quantia. Naquele mesmo dia, a lutadora faria uma viagem por aplicativo para Itapoá, Litoral de Santa Catarina, e receberia quase R$ 1 mil reais.

Às 20h18min, Michelle teria dito que passou pelo primeiro pedágio da viagem, e às 21h42 ela relata que chegou na cidade e que estava esperando um rapaz chegar, que ficaria com ela até sexta-feira (18).

A última mensagem enviada pelo celular de Michelle foi às 22h23min. Porém, câmeras de segurança revelam que o carro em que ela foi encontrada morta foi abandonado cerca de 30 minutos antes, no bairro Ganchinho, em Curitiba, indicando que a viagem para Itapoá não aconteceu.

A hipótese de que ela tenha sido morta tentando recuperar os R$ 11 mil é investigada.

Registrou um flagrante? Mande pro WhatsApp do RIC Mais clicando aqui e faça o portal com a gente!