Assassinatos

Polícia procura “matador de Pinhais”, que teria cometido três assassinatos de homens em situação de rua

Criminoso age sempre da mesma maneira e escolhe vítimas com características semelhantes

Luciano
Luciano Balarotti / Editor Com informações de Tiago Silva, da RICtv
Polícia procura “matador de Pinhais”, que teria cometido três assassinatos de homens em situação de rua
(Foto: Reprodução/RICtv)

14 de abril de 2022 - 14:41 - Atualizado em 14 de abril de 2022 - 14:41

A polícia está a procura de um homem suspeito de ter matado três pessoas só neste mês de abril, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Ele está sendo chamado de “justiceiro” por moradores da região, assustados com a onda de violência na cidade.

As três vitimas do assassino não se conheciam, mas tinham histórias de vida bastante parecidas. São pessoas humildes, viciadas em drogas e álcool, que foram espancadas e torturadas antes de serem mortas.

A polícia investiga os casos e trata o suspeito como um assassino em série, que age sempre da mesma maneira. Ele pratica os crimes de madrugada e sempre contra homens em situação de rua. Outra semelhança entre os três crimes é que todas as mortes foram a facadas.

Duas ações do “justiceiro” foram flagradas por câmeras de segurança. Em uma delas o suspeito foge de moto após esfaquear a vítima, que dormia em um colchão ao lado da companheira, em frente a uma loja na região central da cidade. O local fica em um dos pontos mais movimentados de Pinhais, a poucos metros de uma delegacia e de um módulo da Guarda Metropolitana.

Em outra ação do assassino, as imagens mostram um grupo de jovens caminhando pelas ruas quando acontece uma briga, que logo é controlada. Minutos depois, um dos homens do grupo leva várias facadas e depois ainda é atropelado pelo carro do suspeito.

O terceiro crime também aconteceu de madrugada e resultou na morte de um jovem envolvido com drogas. Esse crime foi longe das câmeras, mas com as mesmas características dos outros dois. A vítima foi agredida e esfaqueada diversas vezes. Nesse caso, o corpo foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML) e só depois de alguns dias foi reconhecido pela família.

A polícia busca agora identificar o suspeito e pede ajuda à população, que pode contribuir com informações que revelem a identidade do homem. Até o momento, os investigadores trabalham com as pistas fornecidas pelo depoimento de uma testemunha que sobreviveu ao ataque do justiceiro.

Os policiais também investigam a eventual relação entre os três crimes cometidos em Pinhais com outro bastante semelhante ocorrido no município vizinho de Colombo, na quarta-feira (13). Neste assassinato, a vítima teve as mãos amarradas antes de ser esfaqueada.