Assassinatos

Motivação do assassinato de ex-prefeito de Campo Magro tem nova versão; entenda

Imagens de câmeras de segurança flagraram o suspeito pulando o muro da residência do ex-prefeito, José Antônio Pase

Daniela
Daniela Borsuk com informações de Tiago Silva, da RICtv
Motivação do assassinato de ex-prefeito de Campo Magro tem nova versão; entenda
(Foto: Tiago Silva/ RICtv/ Redes Sociais)

13 de maio de 2022 - 15:10 - Atualizado em 13 de maio de 2022 - 15:10

A família do ex-prefeito de Campo Magro acredita que José Antônio Pase tenha sido assassinado durante um assalto. Câmeras de segurança flagraram o suspeito, Diego de Jesus da Silva, pulando o muro da residência da vítima na manhã desta quinta-feira (12), mesmo dia em que José foi encontrado morto dentro de um carro.

Conforme informações do filho de José, Amarildo Pase, o pai tinha sacado R$ 5 mil no banco no dia anterior ao crime. No entanto, o dinheiro e o celular da vítima não foram localizados na casa do ex-prefeito. “A gente tem indício de um latrocínio que ocorreu, porque o dinheiro a gente não encontrou nenhum dentro da casa dele, a gente foi lá com o pessoal da polícia e acabou não encontrando nada”, contou Amarildo.

De acordo com a Polícia Civil, câmeras de segurança – que ainda não foram divulgadas pela equipe de investigação – flagraram o suspeito pulando o muro da residência do ex-prefeito para sair do terreno às 4h da madrugada desta quinta-feira.

Depois, às 6h, Diego retorna, pula o muro para dentro do terreno e chama pela vítima. José sai de casa e conversa com o suspeito, o mandando ir embora. Os dois homens discutem e entram em luta corporal. Diego então estrangula José com uma corda e dá dois golpes de faca nele. Em seguida, o suspeito coloca a vítima dentro do porta-malas do carro, ferida.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Cassiano Aufiero, o suspeito relatou informalmente à polícia que colocou o corpo no porta-malas no intuito de desova-lo, mas acabou se arrependendo. Então, arrastou o ex-prefeito para o banco de trás do automóvel e o levou até a UPA. Marcas de machucados nas pernas de José e sinais de sangue na lateral do automóvel corroboram com a versão. Investigadores da polícia contaram que o suspeito pode ter rodado com o automóvel por cerca de três horas antes de deixá-lo na unidade de saúde.

Além de informar que foi o autor do crime, Diego contou à polícia que estava sob efeito de cocaína e álcool. Apesar de ter confessado informalmente, no depoimento o suspeito preferiu ficar em silêncio, por orientação de advogados. O homem já tinha passagens pela polícia por furto e roubo. A polícia ainda apura se há outros envolvidos no crime, mas Diego foi autuado em flagrante por homicídio qualificado.

A família de José afirma que a vítima e o suspeito não se conheciam, mas a polícia verificou, nas imagens das câmeras, que eles pareceram discutir sobre algo antes do crime. Essa informação também será apurada nas investigações. O ex-prefeito morava sozinho e, até o momento, não foram divulgadas possíveis testemunhas.

O corpo do ex-prefeito está sendo velado nesta sexta-feira (13), em Colombo, e será sepultado na tarde de hoje. A Prefeitura de Campo Magro decretou luto oficial de três dias pelo falecimento de José, que ocupou a administração municipal de 2009 a 2012.