Assassinatos

Jovem assassinado com golpes de chave de fenda no pescoço pode ter sido morto por engano, diz delegado

O inquérito ainda não foi concluído mas, conforme as investigações, o delegado disse que há 99% de certeza de que a morte tenha sido por engano

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações de Ana Contato, da RICtv
Jovem assassinado com golpes de chave de fenda no pescoço pode ter sido morto por engano, diz delegado
(Foto: RICtv Londrina/Redes sociais)

24 de fevereiro de 2022 - 19:53 - Atualizado em 24 de fevereiro de 2022 - 19:53

As investigações da morte de Gregory Alexandre da Silva Palmiro, de 24 anos, tiveram uma reviravolta. De acordo com o delegado João Reis, há “99% de certeza” de que o jovem tenha sido morto por engano. O crime aconteceu no dia 16 de fevereiro, no Jardim Pindorama, zona leste de Londrina, norte do Paraná.

De acordo com testemunhas ouvidas pela polícia, o homicídio de Gregory teria envolvimento com outro crime, a morte de Giovana Valim Gonzaga, no dia 31 de dezembro. O assassino do jovem acreditava que ele teria envolvimento com a morte da mulher, encontrada já sem vida, no Parque Arthur Tomas. No entanto, a polícia têm evidências suficientes de que o crime tenha sido um equívoco.

“Familiares mostraram comprovantes de passagens que ele saiu da cidade de Londrina no dia 5 de dezembro [2021] e voltou apenas agora, em fevereiro. Ele não estaria aqui na época da morte de Giovana. Mais alguns detalhes: o nome dele e as características físicas dele não batem com essa pessoa que teria matado a jovem. Tudo indica, nós precisamos concluir esse inquérito, que o Gregory foi morto de forma equivocada. A pessoa que matou o Gregory cometeu um equívoco enorme. Matou ele achando que estava matando a pessoa que foi o assassino da Giovana.”

explica o delegado.

O jovem tinha uma passagem pela polícia por roubo, praticado em 2019. Segundo os familiares, ele teria ido para São Paulo para mudar de vida. Agora, a PM tenta encontrar o assassino de Gregory.

Registrou um flagrante? Mande pro WhatsApp do RIC Mais clicando aqui e faça o portal com a gente!