Assassinatos

Irmão de Paulo Cupertino revela vontade de batizá-lo: “ainda que seja uma das últimas coisas que eu faça”

O irmão atua como pastor e conta ter sido vigiado por policiais, mesmo não tendo contato com Paulo Cupertino há anos

Bruna
Bruna Melo / Repórter com informações de Rafael Machado, da RICtv
Irmão de Paulo Cupertino revela vontade de batizá-lo: “ainda que seja uma das últimas coisas que eu faça”
(Foto: Reprodução/Record TV)

23 de maio de 2022 - 12:53 - Atualizado em 23 de maio de 2022 - 12:53

Em entrevista exclusiva para a RICtv Londrina, José Matias Cupertino, irmão e Paulo Cupertino, revelou os reflexos do crime na família. Ele, que é pastor em Apucarana, no norte do Paraná, falou sobre a vontade de batizar o irmão, 18 anos mais novo que ele. Paulo ficou foragido por três anos e é acusado pelo assassinato do ator Rafael Miguel e seus pais.

José conta que Paulo não se comunicou com a família após os assassinatos. Mesmo assim, o pastor passou a ser vigiado pela Polícia Militar e Polícia Civil. Em ocasiões, chegou a ter a igreja visitada por policiais disfarçados de fieis, conforme seu relato.

Ele se lembra de ter conversado com o suspeito há 10 anos e que não mantinham uma relação próxima. Paulo Cupertino foi preso por policiais do 98° Distrito Policial, no dia 16 de maio, na zona sul de São Paulo.

“Eu não me alegrei e não lamentei. Na verdade, uma das coisas que eu mais queria é que ele se entregasse, que era o certo ele ser preso para pagar o que ele fez”,

explica José.

O sobrenome “Cupertino” ficou marcado, desde a ocorrência registrada em 9 de junho de 2019. A filha de José optou por tirar o sobrenome para evitar ser demitida, mesmo não tendo laços com o tio. Sua sobrinha, e filha de Paulo, não consegue ser contratada até os dias de hoje. O pastor também relata que as pessoas afirmavam que ele teria informações do foragido.

“Eu fico sendo visto como um pastor que sabia do meu irmão. […] mas eu não sabia“,

garante José.

José deve visitar Cupertino no presídio e levar uma bíblia. Ele é pastor em Apucarana há três anos, mas atou boa parte da vida no âmbito religioso e já ajudou a construir diversas igrejas. “Ainda que seja uma das últimas coisas que eu faça no meu ministério, é batizar o meu irmão Paulo Cupertino”, disse ao repórter Rafael Machado, da RICtv Londrina.

José Cupertino mostra suas atuações religiosas ao repórter Rafael Machado. (Foto: Alexandre Oshima/RICtv)

“Se eu batizar o meu irmão Paulo, eu me realizo como profeta, como pastor, como obreiro da seara de Deus”,

diz emocionado.

Atualmente, Paulo Cupertino está cumprindo os 20 dias de isolamento, em regime de observação, no Centro de Detenção Provisória 1 no Belém, em São Paulo (SP).

Triplo assassinato

O ator Rafael Henrique Miguel, de 22 anos, e seus pais, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50 anos, foram assassinados no dia 9 de junho de 2019, na zona sul de São Paulo.

No dia do crime, Rafael foi com os pais até a casa de Isabela Tibcherani, namorada dele e filha de Paulo Cupertino. Rafael queria conversar com Paulo Cupertino, que não aceitava o namoro.

O pai da menina teria ido até a casa e atirado 13 vezes contra as três vítimas que estavam no portão. Sete acertaram Rafael, quatro atingiram o pai e a mãe foi baleada no peito e no ombro. Os três morreram no local.

O jovem ficou famoso interpretando o personagem Paçoca, na novela ‘Chiquititas’. Em junho de 2019, a namorada escreveu uma carta aberta para o ator.

Paulo nega as acusações. Ele ficou na lista de procurados pela Interpol e há suspeitas de que tenha sido ajudado na fuga por dois amigos.

Quer mandar uma sugestão de pauta pro RIC Mais? Descreva tudo e mande suas fotos e vídeos pelo WhatsApp, clicando aqui.