Assassinatos

Homem que tinha acabado de sair da prisão é assassinado e mulher é baleada: “foram muitos tiros”

De acordo com o levantamento inicial, o homem já tinha passagens pela polícia e havia saído há poucos dias do sistema prisional

Daniela
Daniela Borsuk com informações de Tiago Silva, da RICtv
Homem que tinha acabado de sair da prisão é assassinado e mulher é baleada: “foram muitos tiros”
(Foto: Reprodução/ RICtv)

26 de janeiro de 2022 - 15:02 - Atualizado em 26 de janeiro de 2022 - 15:23

Um homem, identificado como Wagner José Vital, de 40 anos, foi assassinado a tiros no bairro Jardim Cruzeiro, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, entre o final da manhã e o início da tarde desta quarta-feira (26). Além do homem, que dirigia um carro que foi metralhado, uma mulher que também estava no veículo foi atingida pelos disparos.

Conforme informações do secretário municipal de Segurança, Ricardo Kush, Wagner foi surpreendido no momento em que chegava em uma residência com um Fiat Palio preto. A mulher, que seria companheira dele, identificada como Silvana Ferreira da Silva, de 34 anos, estava no banco do passageiro, também foi baleada, socorrida e levada ao hospital em estado grave.

De acordo com o levantamento inicial de Kush, o homem já tinha passagens pela polícia e havia saído há poucos dias do sistema prisional. Ainda, testemunhas relataram que Wagner vinha recebendo ameaças.

Os suspeitos chegaram ao local de carro, fizeram os disparos rapidamente e deixaram o endereço. O secretário de Segurança informou que foram muitos tiros.

“Com certeza ou era mais de uma arma ou, no mínimo, uma com kit rajada para poder acionar muito rápido. Segundo os vizinhos, foram muitos tiros em um tempo muito curto”,

disse ele.

Durante o atendimento do homicídio, um carro incendiado foi localizado nas proximidades do local. A polícia investiga se o veículo foi o mesmo usado no crime. O Corpo de Bombeiros foi acionado para apagar as chamas.

Atualização

De acordo com novas informações apuradas no local pela equipe da RICtv, o homem assassinado era ligado a uma facção criminosa que age nos presídios. Ele teria sido preso anteriormente ao ser abordado com uma dinamite que iria usar para derrubar um muro da penitenciária de Piraquara.

Ainda, a casa onde o carro foi metralhado não era a residência do homem. Ele teria tentado fugir e acabou parando em frente a casa. A companheira do homem, baleada e ferida gravemente, foi até os moradores e pediu ajuda.