Assassinatos

Família de mulher assassinada em Piraquara acredita que ex-marido seja mandante

O pai de Fernanda, Salvador Quadros, afirmou que a filha já havia sido baleada pelo ex-marido, que as brigas eram constantes e que ele ameaçava a mulher

Daniela
Daniela Borsuk com informações de Tiago Silva, da RIC Record TV Curitiba
Família de mulher assassinada em Piraquara acredita que ex-marido seja mandante
(Foto: Reprodução/ Redes Sociais)

2 de dezembro de 2021 - 14:28 - Atualizado em 2 de dezembro de 2021 - 14:28

A família de Fernanda Quadros, de 34 anos, a mulher que foi assassinada a tiros quando chegava em casa na noite de quarta-feira (1), acredita que o ex-marido seja o mandante do crime. A Polícia Civil ainda investiga o caso e não há nenhuma confirmação oficial com relação à isso até o momento, mas a equipe policial pretende ouvir o homem na delegacia nesta quinta-feira (2) para obter mais informações sobre a relação do ex-casal.

Fernanda era inspetora de um escola próxima de sua casa, havia saído do trabalho e ido para casa, na Rua Arquisse Jacob Testa, no bairro Vila Nova, em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba. Ao chegar, a mulher estacionou o carro e desceu para abrir o portão. Neste momento, um homem teria passado de bicicleta e efetuado os disparos. A vítima foi atingida por seis tiros, dois no peito, dois nas costas, um no rosto e outro no ombro. Na sequência, conforme testemunhas, o atirador fugiu de bicicleta levando apenas a bolsa da mulher.

O pai de Fernanda, Salvador Quadros, afirmou que a filha já havia sido baleada pelo ex-marido, que as brigas eram constantes e que ele ameaçava a mulher. O homem já foi preso por tráfico de drogas e usava tornozeleira eletrônica.

“Isso não foi assalto, isso aí é o marido dela que mandou fazer. Foi ele, mandou fazer, ele programou tudo isso aí. Ele era meio ‘débil mental’, o cara que faz isso aí… ela chegava em casa do serviço e ele só atormentava ela, atormentava, atormentava, até que ela perdesse a paciência. Ele já tinha atirado nela uma vez, eu levei ela para o hospital, ele já tinha atirado na perna dela. Ele ameaçava ela, ameaçava que se ela denunciasse ele ia matar a família inteira”,

afirmou o pai de Fernanda.

Ainda, Salvador relatou que a relação era complicada já que o homem era ciumento e não ajudava em casa. “Era doente de ciúme, fora do limite”, disse. “Ele só em casa dormindo, na boa, as despesas era tudo ela que pagava, luz, água, comida, era ela que pagava tudo. E ele ameaçando que se ela fizesse qualquer coisa, denunciar ele, ele disse que matava ela e matava a família inteira”, explicou.

“Eu não tô acreditando que a minha filha morreu, eu tenho um amor muito grande por ela. Não tenho nem palavras para dizer, é uma covardia muito grande”,

desabafou Salvador.

Fernanda tinha duas filhas, uma delas, de 13 anos, era do relacionamento com o ex-marido. Na noite do crime, o homem decidiu levar a adolescente para o cinema, atitude que a família estranhou, já que ele não costumava ver a filha. Depois, a menina foi deixada com um parente e o homem não encontrou mais os familiares de Fernanda e nem mesmo questionou sobre a morte dela.

Por acharem que o ex-marido de Fernanda é um homem perigoso, os familiares da vítima agora estão com medo de também serem alvo de algum tipo de crime.

“Eu estou preocupado, eu e minha família estamos muito preocupados. Eu quero justiça, que ele vá pagar, que ele pague isso ai que ele fez, e esse outro bandido que matou ela. Ela não gostava nem de ficar em casa porque ele não deixava ela em paz”,

disse Salvador.

A Polícia Civil está nas ruas nesta tarde, apurando uma denúncia anônima sobre a localização do suspeito de ser o atirador que matou Fernanda.

Registrou um flagrante? Mande para o WhatsApp do RIC Mais. Clique aqui e faça o portal com a gente!