Assassinatos

Ex-mulher fala sobre relacionamento conturbado com suspeito de matar professor de dança

Mulher afirma ainda que jamais teve qualquer relação amorosa com a vítima

Luciano
Luciano Balarotti / Editor com informações de William Bittar, da RICtv
Ex-mulher fala sobre relacionamento conturbado com suspeito de matar professor de dança
(Foto: Reprodução/ Redes Sociais)

12 de abril de 2022 - 14:42 - Atualizado em 13 de abril de 2022 - 09:08

A ex-mulher do suspeito de assassinar o professor de dança Ronaldo Mendes dos Santos, na última quarta-feira (6), em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, afirma que também foi ameaçada pelo ex-companheiro antes do crime. Em entrevista ao repórter William Bittar para o Balanço Geral Curitiba, a mulher, que prefere não ser identificada, contou que viveu um relacionamento bastante conturbado com o ex-marido Rafael.

“A nossa relação era assim… uma relação conturbada, bastante ciúme, uma sensação de posse. A gente tinha bastante dificuldade nessa parte, sabe? A gente até se separou por causa disso. A gente tentou voltar e aconteceu isso”,

conta.

Ela explica que após 14 anos de relacionamento e um período separados, os dois tentavam reatar o casamento, mas que o comportamento agressivo do ex-marido provocou um desfecho trágico para a história do casal, que tem dois filhos, com 12 e 4 anos de idade.

A mulher contou à reportagem que Rafael instalou um aplicativo espião no telefone dela, acessando todas as mensagens que ela trocava com o professor de dança, com quem diz jamais ter tido um relacionamento amoroso.

“Eu fazia aula com ele há algum tempo já, uns dois anos… e durante a minha separação a gente acabou conversando. Eu compartilhei a situação que eu estou passando… nesse momento ocorreram uns flertes, mas nada mais do que isso mesmo”,

afirma a mulher.

Ela disse ainda que o ex a procurou na semana passada para fazer ameaças a ela e ao professor. A mulher contou que avisou Ronaldo das ameaças, mas que o professor de dança acreditou que não aconteceria nada mais grave do que isso.

Na noite do crime, ela começou a desconfiar que algo estava errado porque Rafael desapareceu de forma suspeita. E na manhã de quinta-feira (7), quando soube do assassinato, ela procurou a polícia para relatar as ameaças sofridas e a desconfiança de que o ex estaria envolvido no crime. Na delegacia, ao assistir as imagens da câmera de segurança que registrou o assassinato, ela reconheceu o suspeito.

“Assim, no momento em que eu cheguei em casa, na parte da noite, na quarta-feira, eu já suspeitei porque ele não estava em casa… tinha saído de casa, não tinha falado nada. Tinha apenas deixado meus filhos com a minha mãe e tinha sumido. E acabou que na manhã do outro dia não deu notícias. então eu vi nas imagens e reconheci, pela roupa, pelo carro”,

complementa.

Após a revelação de que a motivação do crime seria o suposto relacionamento amoroso dela com Ronaldo, a mulher passou a ser atacada por alguns moradores da cidade, inclusive por colegas da academia. Por isso, ela preferiu sair de casa enquanto as investigações prosseguem. E ainda não sabe o que esperar de seu futuro depois de passar por essa tragédia.

“Eu me sinto perdida, ainda não sei como vou conseguir reerguer minha vida a partir disso. Jamais imaginei passar por uma situação dessa devido à vida que eu sempre levei, tentando levar tudo aos máximo certo, quem me conhece sabe. Além de tudo isso ainda tenho dois filhos pra criar. Eu não consegui me imaginar ainda e nem saber o que vou fazer daqui pra frente”, desabafa.

Investigações

A Polícia Civil (PC) afirmou que o suspeito do crime, identificado como Rafael Bueno da Conceição, 33 anos, se apresentou na Delegacia de Telêmaco Borba, na região dos Campos Gerais, na manhã de segunda-feira (11) para prestar esclarecimentos sobre seu suposto envolvimento no crime.

Acompanhado por um advogado, o suspeito entregou a arma que teria sido utilizada no crime, mas não foi interrogado porque não foi possível fazer uma videoconferência com o delegado Herculano de Abreu, que conduz as investigações do crime em Colombo. A expectativa da polícia é que Rafael compareça à Delegacia do Alto Maracanã para prestar depoimento nesta quarta-feira (13).