Assassinatos

Acusado de matar jovem em briga de trânsito presta depoimento e já fica preso

Elias Pires já estava fora do período de flagrante, mas polícia já o aguardava com mandado de prisão preventiva

Giselle
Giselle Ulbrich com informações da RICtv Oeste
Acusado de matar jovem em briga de trânsito presta depoimento e já fica preso
(Foto: Reprodução / RICtv Oeste)

25 de março de 2022 - 19:30 - Atualizado em 25 de março de 2022 - 20:19

Apesar de ter se apresentado à polícia fora do período de flagrante, Elias Silva Pires, 51 anos, permaneceu preso na delegacia de Cascavel, no fim da tarde desta sexta-feira (25). Isto porque a polícia já tinha conseguindo com a justiça um mandado de prisão preventiva contra Elias, acusado de assassinar Ailson Augusto Ortiz, 22 anos, numa briga de trânsito na quint-afeira (24) pela manhã.

Elias se apresentou na delegacia com seu advogado, Verli Farias, que afirmou que, ao contrário do que foi divulgado, seu cliente não atirou de novo na vítima, depois que Ailson já estava caído imóvel no chão. Conforme o advogado, a arma travou e Elias estava apenas estava tentando arrumar a pistola. A arma foi recolhida pela polícia na casa do suspeito, enquanto o homem prestava depoimento à polícia.

Elias é colecionador de armas há dois anos e meio. Tem a licença para colecionadores, atiradores e caçadores (CAC), porém não tem autorização para portar e transportar livremente a arma. Sobre isto, o advogado explicou porque Elias estava com a pistola no carro. Ele afirmou que foi levar os filhos na escola e, em seguida, ia ao estande de tiro para treinar. E o fato dele ter atirado contra Ailson foi um ato impensado, no calor do momento, por ter recebido um soco de Ailson.

Ainda afirmou que, apesar do assassinato de Ailson ter ocorrido durante uma briga de trânsito, Elias não percebeu ter fechado ninguém. O que houve foi que os dois pararam o carro e houve a discussão, e, desnecessariamente, nas palavras do advogado, Elias atirou no rapaz.

Elias já tem passagem pela polícia por perturbação de sossego, por causa de som alto, além de ameaça contra os vizinhos, que ele teria feito com uma arma em mãos.