Segurança

Adolescente pode ter morrido por mal súbito durante briga escolar em Apucarana, diz polícia

A confirmação da causa da morte, no entanto, só será feita após a conclusão do laudo do Instituto Médico Legal (IML); entenda

Daniela
Daniela Borsuk / Editora com informações da RICtv Londrina
Adolescente pode ter morrido por mal súbito durante briga escolar em Apucarana, diz polícia
(Fotos: Redes Sociais e Eliandro Piva/RICtv)

22 de junho de 2022 - 13:44 - Atualizado em 22 de junho de 2022 - 14:15

O delegado Felipe Pinheiro Rodrigues, da Polícia Civil, que investiga a morte de um adolescente de 13 anos em Apucarana, relatou que o menino pode ter morrido em decorrência de um mal súbito, e não devido à agressões. Segundo as primeiras informações obtidas pela polícia no Instituto Médico Legal (IML), o corpo do adolescente Alekson Ricardo Kongeski não tem lesões aparentes graves que poderiam ter culminado no óbito.

Entretanto, somente poderá ser confirmada a causa da morte da vítima com a conclusão do laudo do IML.

“É provável, não tenho como dar certeza porque o laudo ainda não está pronto. Mas é provável que a causa da morte não tenha sido trauma ou qualquer tipo de agressão, e sim uma comorbidade pré-existente, que veio a se desencadear por causa do estresse”, explicou o delegado.

explicou o delegado.

Ainda segundo o delegado, testemunhas relataram que somente uma pessoa teria agredido o adolescente e as outras teriam participação apenas prestando “assistência moral ao fato”. “Houve uma briga envolvendo seis adolescentes aproximadamente, os atos diretos foram entre dois menores, os demais apenas estimularam e prestaram assistência moral ao fato, mas não se envolveram diretamente. Durante as vias de fato, a vítima sofreu um mal súbito, caiu desacordada, provavelmente convulsionou, e os demais se evadiram do local”, relatou Rodrigues.

O adolescente suspeito de ter agredido a vítima ainda não se apresentou à polícia, mas deve responder por ato infracional correspondente a homicídio culposo, quando não há intenção de matar. O delegado ainda argumentou que os envolvidos na briga provavelmente não tinham conhecimento da comorbidade da vítima.

Até o momento, três adolescentes, um de 12 e dois de 15 anos foram apreendidos e encaminhados para a delegacia acompanhados dos responsáveis. Outros três jovens, um de 14 e dois de 15 anos, não foram localizados.

Briga escolar

Câmeras de segurança flagraram a briga que aconteceu nas proximidades do Colégio Padre José Canale, localizado no Jardim Ponta Grossa, na noite desta terça-feira (21). Segundo a Polícia Militar, a equipe foi chamada por testemunhas. O adolescente foi encontrado já caído, com uma pessoa tentando reanimá-lo.

Um médico e outros profissionais de uma unidade de saúde que fica na região foram até o local e fizeram os primeiros socorros. O Siate também foi chamado, mas a vítima não resistiu e morreu a caminho do hospital.

O corpo foi levado para o IML e ainda não foi liberado para a família. A motivação da briga também não foi esclarecida até o momento.