Segurança

Adolescente de 16 anos é perseguida por ex-namorado 15 anos mais velho

Desde o término a jovem procurou a polícia e conseguiu uma medida protetiva que deveria garantir a segurança dela

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações de Vanessa Fontanella da RICtv
Adolescente de 16 anos é perseguida por ex-namorado 15 anos mais velho
(Foto: Reprodução RICtv)

31 de março de 2022 - 15:01 - Atualizado em 31 de março de 2022 - 15:01

Uma adolescente de 16 anos vive com medo constante desde que terminou o relacionamento com um homem 15 anos mais velho. A jovem relatou à equipe da RICtv que vem sendo perseguida há nove meses pelo rapaz em Curitiba-PR.

Há três anos a menina conheceu o homem na igreja e a família resolveu aceitar o relacionamento. Em junho do ano passado ela terminou por perceber “atitudes estranhas de ciúmes” do homem.

De acordo com a reportagem, a jovem vem sendo perseguida no caminho para a escola, no trabalho e até mesmo na igreja que deixou de frequentar há um mês por insegurança. O homem também tem feito ligações diárias para ela.

“Era uma coisa que eu adorava, eu ia praticamente todos os dias e hoje eu não posso mais pisar lá sem me sentir insegura, sem sentir medo dele estar ali me observando. Eu fiquei sabendo por via do padrão que ele ia para a igreja e quando via que eu não estava lá, ia embora”,

contou a adolescente.

Desde o término a jovem procurou a polícia e conseguiu uma medida protetiva que deveria garantir a segurança dela. O ex-namorado está proibido de se aproximar e deve manter distância de pelo menos 300 metros.

A jovem ainda conta que o começo do relacionamento era tranquilo, mas tentava se adaptar. “Ele era uma pessoa diferente, muito diferente de mim, muito agitado. Eu estava me acostumando e achando que poderia me adaptar com aquilo”, relata.

A mãe da adolescente contou que a princípio aceitou o namoro, mas quando percebeu que a relação não era saudável, incentivou a jovem a terminar o relacionamento.

“Ele fazia ela chorar muito. Em ligações, no telefone… eu não aceitava mais, não tinha futuro e ele era uma pessoa inconstante”,

disse a mãe da vítima.

De acordo com a jovem, o rapaz já tentou agarrá-la na rua, além das agressões. “Ele me agrediu na igreja e chegou a me dar um empurrão e foi aí que eu percebi que não era normal”.

O homem não tem respeitado a medida protetiva. Já foram registrados cinco Boletins de Ocorrência, mas a perseguição continua. Até mesmo o atual namorado, com quem ela está há 4 meses, é perseguido.

“Fiquei esperando resultado, eles mandaram duas multas pra ele para o valor ser extornado para mim mas não resolve”, 

conta a menina.

A mãe da jovem passa o dia preocupada com medo do que possa acontecer com ela. “Eu não fico sossegada enquanto ela não chega do trabalho”, disse a mãe.

“Muita gente morre, muitas coisas acontecem com muitas mulheres e não é por conta que não foi na delegacia, é porque a justiça é muito lenta. Eu espero que depois disso aconteça alguma coisa para que eu possa ter paz”, desabafa a menina.

Registrou um flagrante? Mande para o WhatsApp do RIC Mais. Clique aqui e faça o portal com a gente!