13/09/2017 - 09h51

Projetos de internet das coisas serão testados em 'minicidade' no Rio

FILIPE OLIVEIRA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Projetos de internet das coisas que tragam vantagens para cidades poderão ser testados em um laboratório que será lançado em 2018 em Xerém, distrito do município de Duque de Caxias (RJ).

A iniciativa é resultado de parceria entre a ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) e o Inmetro. Os dois órgãos são ligados ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

A ideia é que tecnologias para cidades inteligentes, como sensores para iluminação, medidores para evitar entupimento de bueiros, semáforos que se adequam ao trânsito e carros autônomos possam ser testados em uma área propícia e tenham sua confiabilidade e segurança avaliadas.

O local, com 48 mil metros quadrados, imitará cenários de uma minicidade. A organização do espaço dependerá dos projetos apresentados.

A ideia é que o local seja dividido em diferentes áreas, dependendo do tipo de tecnologia que se quer testar. Uma delas pode ser para aplicações de segurança no trânsito, e outra, para prevenção de desastres, por exemplo.

Carlos Frees, líder de projetos de cidades inteligentes da ABDI, diz que um dos principais desafios de empresas do setor é comprovar a eficiência de seus produtos para gestores públicos.

"O prefeito não compra porque não confia, e a empresa não consegue confiança porque não tem ninguém disposto a testar. Queremos dar uma solução para a entrada no mercado dessas empresas."

Os projetos mais bem avaliados serão apresentados a municípios interessados em soluções tecnológicas e deverão ter mais chances de adoção, explica.

Até o momento, 55 empresas já demonstraram interesse em ter suas soluções avaliadas no local, diz Frees.

Não haverá custo para as empresas que quiserem testar serviços no laboratório. A ABDI e o Inmetro definirão os projetos mais adequados para serem experimentados no espaço.

O orçamento para o lançamento do laboratório é de R$ 2,5 milhões para seu primeiro ano e avalia aumento de R$ 5 milhões.

O projeto foi apresentado durante o Fórum Brasileiro de IOT, parte do 2º Congresso Brasileiro e Latino-Americano de IOT, realizado nesta semana no Expo Transamérica, em São Paulo.

Fonte: Folhapress