RICTV Record Santa Catarina | notícias, vídeos, esportes, entretenimento http://ricmais.com.br/sc/ RIC Mais SC é o nosso portal de conteúdo regional, veja a programação e participe. Jornal do Meio Dia, SC no Ar, Ver Mais, Cidade Alerta, RIC Notícias, Eu Sou Repórter, Balanço Geral. Florianópolis, Joinville, Itajaí, Blumenau, Chapecó, Xanxerê. Jornalismo. Rede Record SC. pt-BR © Copyright Grupo RIC SC /sc/site/images/ricmais_logo_.png RIC Mais SC http://ricmais.com.br/sc/ Justiça concorda com estado de SP e não prorroga concessão de rodovia https://ricmais.com.br/sc/noticias/justica-concorda-com-estado-de-sp-e-nao-prorroga-concessao-de-rodovia https://ricmais.com.br/sc/noticias/justica-concorda-com-estado-de-sp-e-nao-prorroga-concessao-de-rodovia <p>SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A disputa entre o governo de São Paulo e as concessionárias de rodovias em torno do prazo limite para o fim dos contratos no setor entrou numa nova fase.</p><p>Uma decisão judicial envolvendo uma das concessionárias abriu margem legal para que prevaleça o cronograma defendido pelo estado e não os prazos maiores reivindicados pelas concessionárias.</p><p>Há cinco anos, o governo paulista questiona os prazos dos contratos das primeiras concessões de rodovias dos anos de 1990. Pela definição original, os contratos daquela rodada começariam a vencer neste ano. Mas um aditivo assinado em 2006 ampliou os prazos de todas elas.</p><p>Em 2013, o governo refez a metodologia dos cálculos e avaliou que os benefícios estariam superestimados, contrariando a gestão anterior.</p><p>Na época, as empresas defendiam que as prorrogações serviriam para recompor perdas com tributos e queda de receita provocada pelo atraso para a cobrança de pedágio.</p><p>O caso que agora traz um novo ingrediente à disputa é o da concessionária Tebe, que administra 156 km de estradas na região de Ribeirão Preto.</p><p>A concessão da Tebe (cujo prazo original se esgotava em maio deste ano e o estendido iria até 2025) foi surpreendida em abril com uma decisão do Tribunal de Justiça determinando que fosse anulado o benefício obtido em 2006.</p><p>Sem tempo hábil para relicitar os trechos da Tebe, a Artesp (agência reguladora de transportes no estado) publicou uma portaria, semanas depois, dando início ao procedimento de retomada das estradas para o governo, em uma espécie de reestatização feita às pressas.</p><p>É a primeira vez na história desse pacote de rodovias que o estado retoma um empreendimento.</p><p>Pelas previsões da Artesp, o DER (departamento que administra o sistema rodoviário) deveria assumir os pedágios em julho. A Tebe recorreu na Justiça e obteve liminar suspendendo os efeitos da portaria. A Artesp recorre.</p><p>A medida que atinge a Tebe diretamente também coloca em alerta, indiretamente, as outras concessões, como Ecovias (Anchieta Imigrantes) e Renovias (região de Campinas).</p><p>A preocupação existe porque o mesmo aditivo de 2006, anulado no caso da Tebe, também beneficiou outros 12 contratos. Daquele pacote, dois foram relicitados (ViaNorte e Autovias) e os outros dez foram parar na Justiça. Na maior parte, a Artesp teve decisões favoráveis, mas ainda em primeira instância, e as concessionárias estão recorrendo. Duas decisões favoreceram as empresas, das quais o governo recorre.</p><p>O caso da Centrovias (Washington Luís) é um dos que está na iminência de ser julgado e também próximo do prazo original de expiração. Já há estudos para nova licitação, mas o procedimento formal ainda não começou.</p><p>Já a Ecovias (Anchieta Imigrantes) deve ser julgada pela mesma câmara do tribunal que julgou o caso da ViaNorte, em decisão favorável ao governo. A Renovias também está para ser julgada na câmara que julgou o caso da Tebe.</p><p>"A Tebe é um precedente. É o primeiro caso julgado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo em que o estado sai vitorioso, mas com maioria apertada", diz Marcello Bernardes, sócio do Pinheiro Neto Advogados. Ele lembra que cabe recurso.</p><p>Procurada, a Artesp não informa se os pedágios ficarão mais baratos quando as rodovias da Tebe forem retomadas pelo estado. Segundo a agência, as decisões sobre valor de pedágio, e se haverá nova licitação para concessão, serão tomadas após a mudança.</p><p>Outra concessionária impactada, a Arteris diz que a metodologia dos cálculos deveria ser mantida "para preservar a segurança jurídica e a credibilidade do marco regulatório de concessões".</p><p>A Artesp nega insegurança jurídica. "Desde 2017, com a revisão dos reequilíbrios já em curso, houve três licitações com resultados expressivos. Os leilões renderam ágios de até 438% sobre as ofertas mínimas de outorga, o que revela competitividade das concessões paulistas", diz a agência.</p> G1 Sat, 23 Jun 2018 07:05:00 -0300 Apesar de seu tom polemista, obra nos expõe a confrontos importantes https://ricmais.com.br/sc/noticias/apesar-de-seu-tom-polemista-obra-nos-expoe-a-confrontos-importantes https://ricmais.com.br/sc/noticias/apesar-de-seu-tom-polemista-obra-nos-expoe-a-confrontos-importantes <p>SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em "Crítica da Vítima", Daniele Giglioli propõe interrogar a mitologia da máquina vitimária. O livro dá continuidade ao projeto iniciado em "Senza Trauma" (2011), mas agora tematiza a hipertrofia da condição de vítima e sua conversão em ideologia sedutora.</p><p>Propõe um "experimento com a ética", no qual busca expor as engrenagens da heroicização da vítima hoje. Interessa-lhe o ardil com que a passividade passa a valer como instrumento de reconhecimento, prestígio e, em última instância, poder.</p><p>De início, afirma que sua crítica não mira as vítimas reais, mas as formas de apropriação indevidas do imaginário vitimatório: usurpação do lugar, discurso e posição de vítima.</p><p>Detem-se sobre a "prosopopeia da vítima", o reforço da dimensão dolorosa e a valorização da impotência como posição ética inquestionável. Preocupa-o, portanto, a economia da usurpação do real da vítima por posições fantasiosas que dela se beneficiam.</p><p>Seu foco, no entanto, é nossa incapacidade cognitiva de distinguir a vítima verdadeira da falsa. Ao investir na criação de condições teórico-críticas para realizar essa distinção, Giglioli apela a uma consciência do real capaz de tornar visível a diferença; entretanto, os termos "consciência "e "real" não são explorados o suficiente ao longo do livro para garantir tal distinção.</p><p>A formulação -deliberadamente escandalosa- que dispara sua reflexão, "a vítima é o herói do nosso tempo", mereceria minúcia e paciência teóricas que fossem além do uso da própria teoria como sintoma ou reflexo cultural.</p><p>Sua leitura aposta na existência de uma separação implacável entre a vítima e os que se imaginam vítimas e convoca uma consciência do real que ajudaria a ver a diferença entre o real e a fantasia da vitimização.</p><p>Por outro lado, não reconhece como dimensão do problema o fato de que os herdeiros ou porta-vozes das vítimas muitas vezes são os únicos capazes de exigir justiça, já que a voz da "verdadeira vítima" inexiste ou foi deslegitimada de tal modo que o próprio sistema jurídico é incapaz de considerá-la válida.</p><p>Desfere críticas a autores de diversas procedências e linhagens teóricas numa rapidez assertiva que fragiliza algumas análises.</p><p>Isso se torna uma armadilha quando Giglioli põe sob a mira textos de Judith Butler e Gayatri Spivak, por exemplo, sobre os quais se debruça com antipatia manifesta. Quando as situa no lugar discursivo que ajudaria a incrementar a máquina vitimatória, esquece que essas autoras tratam de vítimas reais.</p><p>Apesar do tom excessivamente polemista, "Crítica da Vítima" não deixa de ser uma proposta importante e circunscreve temas e paradoxos indigestos com que temos de lidar.</p><p>CRÍTICA DA VÍTIMA</p><p>AUTOR Daniele Giglioli</p><p>EDITORA Âyiné</p><p>TRADUÇÃO Pedro Fonseca</p><p>QUANTO R$ 39 (177 págs.)</p><p>AVALIAÇÃO Bom</p> G1 Sat, 23 Jun 2018 06:35:00 -0300 Em novo livro, italiano Daniele Giglioli questiona retórica vitimista https://ricmais.com.br/sc/noticias/em-novo-livro-italiano-daniele-giglioli-questiona-retorica-vitimista https://ricmais.com.br/sc/noticias/em-novo-livro-italiano-daniele-giglioli-questiona-retorica-vitimista <p>RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Parece um contrassenso pensar que alguém possa almejar a condição de vítima, mas dizer-se vítima é uma das estratégias mais bem-sucedidas da política atual, diz o italiano Daniele Giglioli.</p><p>Professor de literatura comparada da Universidade de Bergamo, esteve no Brasil para falar do livro "Crítica da Vítima", em que combina erudição acadêmica e brio de polemista para defender a tese de que aquilo que chama de "dispositivo vitimário" é um traço fundamental do nosso tempo.</p><p>Em lugar das ambições de emancipação e transformação que caracterizam a modernidade, Giglioli defende que hoje é a retórica da vitimização que mais captura o imaginário social. Foi explorando o ressentimento dos que se consideram vítimas do sistema que Donald Trump e a coalização liderada por Giuseppe Conte na Itália se elegeram.</p><p>O triunfo do vitimismo estaria ligado ao retorno de afetos políticos de implicações catastróficas: Hitler e Mussolini chegaram ao poder culpando os outros, diz. Agora, como à época, a popularidade do vitimismo teria ligações com a crise do regime democrático, a sensação de que há um fosso intransponível entre cidadãos e elites políticas e financeiras.</p><p>Mas o que dizer dos grupos oprimidos, para os quais afirmar a condição de vítima pode ser um meio de combater a injustiça? Ainda aí, no que é o ponto mais delicado de sua obra, Giglioli sugere que a "retórica vitimária" serve mais ao ressentimento do que à emancipação. Leia sua entrevista à reportagem.</p><p>PERGUNTA - O sr. abre o livro com a frase: "A vítima é o herói de nosso tempo". Em seguida, associa o heroísmo à ideia moderna de emancipação. Como essa ideia deu lugar ao que chama de discurso vitimário?</p><p>DANIELE GIGLIOLI - Por heroísmo da modernidade refiro-me a uma postura, uma atitude, resumida no lema de Kant: caminhar ereto, sair do estado de menoridade. A modernidade havia imposto ao sujeito tarefas gravosas: tens a obrigação de mudar as coisas.</p><p>O mito central da modernidade foi a revolução, não necessariamente entendendo-a como tomada do poder violento, mas o direito e o dever estendidos a todos, e não só aos grandes da história, de modificar o estado das coisas.</p><p>A vítima tomou o lugar do herói nesse sentido; sendo uma figura da passividade, oferece ao sujeito a possibilidade de identificação mais realista em uma sociedade na qual o senso de impotência é a tonalidade emocional mais difusa.</p><p>Já não podemos mais tanto. Outros decidem por nós (mercado, governos, aparatos de inteligência). Sentir-se vítima permite ao menos dizer que, se não podemos, tampouco devemos. Uma vítima não deve nada, não tem obrigações. Declarar-se vítima é uma maneira de habitar o estado de menoridade sem sentir culpa por isso.</p><p>P. - O sr. toma o cuidado de explicar que "crítica" não quer dizer "ser contra" e que seu livro questiona certo uso atual da noção de vítima, e não as vítimas reais. Pode explicar?</p><p>DG - Crítica, dizia Kant, não significa ir contra alguém, mas tentar estabelecer o uso correto da razão, o que faz sentido e o que não faz sentido dizer.</p><p>Obviamente, não tenho nada a repreender nas vítimas reais. Pretendo submeter à crítica, à verificação, um discurso que coloca a vítima no centro do universo da ética, pretendendo extrair um possível bem do que é indiscutivelmente um mal, algo indesejável.</p><p>Como alguém pode buscar um fundamento não em um bem (Deus, liberdade, igualdade etc.), mas em algo que é indesejável? Não prescrevo receitas a ninguém, tampouco às vítimas reais, que têm direito ao nosso respeito e ao reconhecimento da condição dolorosa em que foram colocadas sem que tivessem culpa.</p><p>Penso que a reivindicação da própria condição de vítima não é a melhor estratégia de empoderamento. Pode dar vantagens discursivas, prometer visibilidade, mas, ao mesmo tempo, aprisiona fatalmente quem sofreu uma injustiça àquela injustiça, liga-o definitivamente ao passado.</p><p>Uma vítima é alguém que tem destino e identidade decididos por outro. Por que também presentear o algoz com seu futuro? A vítima que se emancipa não cancela o passado, mas não se reduz a ele.</p><p>P. - Embora o sr. dê mais ênfase ao uso da noção de vítima por poderosos, que buscam explorar o ressentimento e se eximir de sua responsabilidade, parece que, mesmo no caso dos oprimidos, o sr. considera problemático o uso dessa figura da vítima, não?</p><p>DG - O vitimismo dos poderosos está sob os olhos de todos e também a capacidade que eles têm de utilizá-los para seus próprios fins. Como Trump venceu as eleições?</p><p>Mais delicado é o uso da retórica vitimária por grupos submetidos à discriminação, antiga ou presente, mas real. Ali não há má-fé. A ênfase colocada sobre o mal recebido de outros não torna os sujeitos preguiçosos em relação à fabricação e reivindicação dos próprios méritos, porque eles, e não as feridas, são as únicas coisas de que se orgulhar.</p><p>A exemplo, o movimento operário. Na retórica dele, em especial no século 19, não era completamente ausente um pauperismo vitimário, focado no sofrimento e na pobreza.</p><p>Mas muito mais forte e decisivo foi o impulso que veio da consciência de que, numa sociedade industrial, a riqueza é fundada no trabalho: "Somos nós que produzimos este mundo. Então, se vocês não se importam, nós não queremos só uma fatia maior de bolo, mas o direito de guiá-lo, governá-lo, mudá-lo. Nós não queremos compaixão ou assistência, queremos o poder".</p><p>Agora tudo mudou, mas, enquanto tal consciência foi presente, funcionou. Quase todas as conquistas sociais e civis no Ocidente passaram por ela.</p><p>P. - O que o sr. acha do #MeToo? Não seria possível ver aí um efeito emancipador do ato de se dizer publicamente vítima?</p><p>DG - Que a cultura patriarcal tenha a tendência a dar como certo o consentimento da mulher, ou o direito de não levá-lo em consideração, é uma evidência. Inaceitável, indefensável. O patriarcado é intelectualmente exaurido, não pode ser defendido por nenhum argumento decente. Vai levar tempo, mas é a direção em que vamos, felizmente.</p><p>Em relação ao #MeToo, minha perplexidade se dá pelo fato de o movimento ter-se iniciado em Hollywood e que os promotores fossem mulheres ricas, famosas e poderosas, sabendo que o que sofreram, infelizmente, é a norma em escritórios, fábricas, lojas...</p><p>Não conheço na história uma verdadeira revolução iniciada por bilionários. Tenho muito medo do efeito glamour e de certa tendência à histeria coletiva, imitativa, característica do espírito público americano. Mas melhor que nada; ao menos se fala sobre isso.</p><p>P. - O sr. inclui o populismo entre fenômenos ligados ao discurso vitimário. Isso se aplica à coalização que assumiu o poder na Itália?</p><p>DG - Sim, infelizmente. Mas não menos populistas são os seus adversários, os líderes da esquerda e da dita direita moderada, Matteo Renzi e Berlusconi.</p><p>Sob estresse, todos os países reagem inconscientemente apelando para memórias ancestrais e fundacionais. Infelizmente para a Itália, elas são o fascismo, a grande contribuição italiana à modernidade política, um modelo de governo das massas tão funcional que pode ser aplicado a todas as latitudes, da Alemanha à América Latina. No Brasil vocês sabem algo disso.</p><p>O ressentimento é o combustível emocional mais forte do fascismo. Mussolini e Hitler chegaram ao poder culpando os outros. Também por isso a mitologia vitimária é perigosa, material radioativo que deve ser manuseado com extremo cuidado. Criticá-la não significa falta de respeito por vítimas reais, mas lutar para evitar que surjam outras.</p> G1 Sat, 23 Jun 2018 06:30:00 -0300 Partidos gastam só 3,5% de fundo público com mulheres https://ricmais.com.br/sc/noticias/partidos-gastam-so-3-5-de-fundo-publico-com-mulheres https://ricmais.com.br/sc/noticias/partidos-gastam-so-3-5-de-fundo-publico-com-mulheres <p>MARINA MERLO E GABRIELA SÁ PESSOA</p><p>SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ações voltadas para mulheres representaram, em média, 3,5% dos gastos dos partidos políticos em 2017. O dado foi obtido pela Folha de S.Paulo a partir da análise do Sistema de Prestação de Contas Anuais, uma base de dados tornada pública pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e inédita até então.</p><p>Um artigo adicionado em 2015 à lei dos partidos políticos obrigou as agremiações a repassar um mínimo de 5% do fundo partidário para as secretarias da mulher, que deve custear programas de promoção e difusão da participação política feminina.</p><p>A legislação, porém, também prevê que esses recursos possam ser reservados para as eleições -razão que os partidos consultados pela reportagem apontaram para justificar por que não gastaram o mínimo de 5% com mulheres.</p><p>Segundo a prestação de contas partidárias, 33 das 35 legendas registradas no TSE declararam algum gasto com mulheres. Dessas 33, apenas oito atingiram ou superaram os 5%: PTC, PPL, Patriota, PDT, DC, PT, PMB e PSOL. Os partidos têm até 31 de julho para retificar as informações sobre suas contas anuais ao TSE.</p><p>Para o procurador regional eleitoral de São Paulo, Luiz Carlos dos Santos Gonçalves, a existência de um percentual mínimo de transferência do fundo partidário para mulheres reflete uma expectativa de gasto dessas verbas.</p><p>"De maneira geral, os partidos não preparam os talentos femininos para as disputas eleitorais. Se você tem dinheiro, ele está no caixa e não é utilizado, é uma razão adicional de preocupação", ele afirma.</p><p>O Ministério Público Eleitoral de São Paulo promoverá, na terça (26), um encontro com lideranças partidárias e pré-candidatas paulistas para discutir a representação feminina nas eleições de outubro.</p><p>Neste ano, os partidos deverão reservar, no mínimo, 30% do fundo eleitoral para mulheres, que deverão aparecer nessa mesma proporção de tempo na propaganda de rádio e TV.</p><p>O TSE também entendeu que, caso o número de mulheres supere 30% das candidaturas, a distribuição de recursos deverá obedecer a mesma proporção feminina.</p><p>A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) diz esperar que, com as novas regras de financiamento, os partidos se preocupem em buscar candidatas com viabilidade eleitoral.</p><p>Desde 2009, mulheres precisam ser 30% das candidaturas registradas por um partido. Essa cota criou o efeito colateral de candidaturas "fantasmas": políticas que disputaram a eleição, mas não receberam recursos nem votos.</p><p>"Agora os partidos vão ter que se preocupar em dar consistência eleitoral e formação a suas filiadas", diz a pessebista.</p><p>Sua colega de Senado Kátia Abreu (PDT-TO), diz notar pouco investimento das siglas na atividade partidária: "Esse exercício está muito pobre. Acham que só ganha eleição na hora".</p><p>Mata e Abreu são duas das oito senadoras signatárias de uma consulta enviada em maio à procuradora-geral da República Raquel Dodge, que também chefia o Ministério Público Eleitoral.</p><p>No documento, Dodge defendeu que o TSE estenda também ao fundo partidário a obrigatoriedade de reservar 30% dos recursos para mulheres. "Nenhum partido é obrigado a aceitar financiamento público. Todavia, se o aceita deve cumprir condicionantes que acompanhem esse financiamento", ela diz.</p><p>Sobretudo, prossegue a procuradora, condições que tratem do "aperfeiçoamento da democracia partidária e a proteção de direitos fundamentais". Para a procuradora-geral, incentivar a igualdade de gênero na política é parte da disciplina constitucional dos partidos políticos.</p><p>"Me coloco muitas vezes contra o excessivo protagonismo do Judiciário na política. Porém, nessa questão das mulheres, não vejo outro caminho para que a gente possa evoluir. Se depender apenas do Congresso, não acontece", afirma Lídice da Mata.</p><p>O partido da senadora, o PSB, declarou gastos de 2,5% com as secretarias femininas em 2017. Mata é presidente do partido na Bahia e afirma que os 5% que devem ser repassados a mulheres são transferidos para esse fim assim que os 40% que cada diretório estadual tem direito caem na conta da legenda.</p><p>No entanto, afirma a senadora, após partilha o valor acaba se tornando pequeno. "Durante o ano quase todo, de fundo partidário para o estado inteiro foi R$ 27 mil. Para ter uma ação [voltada a mulheres], como o 8 de Março, é preciso acumular [verba] por seis meses", diz a pessebista.</p> G1 Sat, 23 Jun 2018 05:40:00 -0300 Esferas da Amazon viram ponto turístico em Seattle https://ricmais.com.br/sc/noticias/esferas-da-amazon-viram-ponto-turistico-em-seattle https://ricmais.com.br/sc/noticias/esferas-da-amazon-viram-ponto-turistico-em-seattle <p>FERNANDA EZABELLA</p><p>SEATTLE, EUA (FOLHAPRESS) - Britadeiras e guindastes fazem o som ao redor do bilionário campus da Amazon, no centro de Seattle.</p><p>São três quarteirões de prédios de escritórios, muitos já prontos e com alta circulação de "amazonians", como são chamados seus funcionários.</p><p>Mas, no meio de tantos arranha-céus, a gigante da internet plantou três globos de vidro que viraram atração turística da cidade desde sua abertura, em janeiro.</p><p>Bastam alguns passos dos canteiros de obras, além da passagem por uma catraca eletrônica, para a barulheira da rua ser substituída pelo murmúrio de uma cascata num paredão de rochas indoor, logo na entrada das "spheres" (esferas).</p><p>O ar é bem mais úmido que lá fora, e o cheiro incrivelmente doce.</p><p>O espaço levou três anos para ser construído e hoje reúne milhares de plantas de 400 espécies do mundo todo.</p><p>Há orquídeas de baunilha, samambaias da Austrália, begônias da Bolívia e até carnívoras da Ásia, sem contar uma árvore de cacau.</p><p>É uma estrutura gigantesca para simular uma floresta tropical, fazendo jus ao nome amazônico da empresa e talvez também ao ego de seu fundador, Jeff Bezos, o homem mais rico do planeta.</p><p>Não há escritórios nas spheres, mas mesas aleatórias, cadeiras de praia e bancos nos jardins.</p><p>A ideia é vir aqui para relaxar, fazer reuniões informais e aderir à prática de "forest bathing", ou banho de floresta, segundo a qual passear na natureza traz benefícios para a saúde.</p><p>"Alguns anos atrás, tomamos uma decisão muito consciente de ficar num centro urbano como Seattle. E uma das coisas que faltavam por aqui é vegetação", disse à reportagem o porta-voz John Sa, que gosta de trazer seu laptop para trabalhar nas espreguiçadeiras do quarto andar.</p><p>"Há muitos estudos que mostram que pessoas tendem a prosperar mais em áreas com plantas, vegetação e espaços naturais. Não sei você, mas eu definitivamente me sinto um pouco mais relaxado aqui."</p><p>Passando pela cascata, há um aquário de peixes coloridos que poderiam ser encontrados na Amazônia (mas sem piranhas) e um jardim vertical exuberante que chega até o quarto e último andar.</p><p>Há também dois cafés com rosquinhas, bebidas e saladas, mas nada de regalia e até os funcionários precisam pagar.</p><p>"Apenas trazer plantas ao escritório não ia dar conta do recado", disse o arquiteto Dale Alberda, um dos diretores do escritório NBBJ, com sede em Seattle.</p><p>Ele é famoso pelos projetos audaciosos de várias firmas de tecnologia, como o prédio de 50 andares da Tencent em Shenzhen, na China, e o novo campus do Google no Vale do Silício.</p><p>No topo das spheres, após atravessar uma ponte suspensa, fica uma estrutura que lembra um ninho de pássaro, onde meia dúzia de funcionários se reunia numa manhã de segunda-feira.</p><p>Fica ao lado da copa da maior árvore da estufa, uma figueira de 16 metros apelidada de Rubi. Plantada em 1969 numa cidade da Califórnia, Rubi foi transportada de caminhão no ano passado e instalada via guindaste por uma abertura especial.</p><p>Um time de quatro horticultores lidera os trabalhos para manter o espaço.</p><p>Eles contam ainda com a ajuda de uma estufa em Woodinville, a 33 quilômetros de Seattle.</p><p>Nenhuma planta foi coletada na natureza e sim em jardins botânicos, universidades e cultivadores particulares.</p><p>"O mundo das plantas tem milhões de histórias para contar. O objetivo das spheres é ter gente parando para olhar de perto uma planta e aprendendo algo novo", disse Ron Gagliardo, horticultor sênior da Amazon.</p><p>A estrutura de aço foi desenhada para parecer algo contínuo e orgânico, como padrões da natureza.</p><p>Ela lembra três globos, mas na verdade é um espaço só, com a parte mais alta batendo quase 30 metros. Seu formato gerou o apelido entre os locais de "as bolas de Bezos".</p><p>A Amazon tem mais de 35 prédios em Seattle e 45 mil funcionários.</p><p>Bem ao lado das spheres, fica a torre Day 1, sede da empresa e onde Bezos trabalha.</p><p>Todos "amazonians" podem usufruir da grande estufa e trazer amigos e família.</p><p>O espaço recebe o público dois fins de semana por mês (agendamento online: seattlespheres.com) e há um pequeno museu gratuito aberto diariamente contando sua história.</p> G1 Sat, 23 Jun 2018 04:25:00 -0300 Governo adia votação de cadastro positivo para evitar derrota https://ricmais.com.br/sc/noticias/governo-adia-votacao-de-cadastro-positivo-para-evitar-derrota https://ricmais.com.br/sc/noticias/governo-adia-votacao-de-cadastro-positivo-para-evitar-derrota <p>ANGELA BOLDRINI</p><p>BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Um dos pontos prioritários da agenda econômica do governo Michel Temer, o projeto do cadastro positivo está empacado desde o início de maio na Câmara dos Deputados.</p><p>Após ter a votação adiada diversas vezes, o projeto teve o texto-base aprovado no dia 9 daquele mês.</p><p>Com quórum baixo no plenário, obstrução da oposição e divergências dentro da base, porém, o governo acabou desistindo da análise das emendas ao texto, que podem desfigurar o projeto patrocinado pelo Banco Central.</p><p>Ainda precisa ser votado o principal artigo da proposta, que, se incluído no texto, tornará automática a inclusão dos consumidores no cadastro positivo.</p><p>Para que isso aconteça, o governo precisa obter o apoio de 257 deputados em plenário.</p><p>Por ter problemas com o projeto dentro da própria base, o governo tem protelado a votação com medo de perder.</p><p>Quando a matéria foi aprovada, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que a votação seria concluída na terça-feira seguinte, dia 15 de maio.</p><p>Até agora, porém, o texto não voltou a ser analisado pela Casa.</p><p>Ele ainda terá de ser analisado novamente pelo Senado Federal antes de seguir para sanção presidencial.</p><p>Na próxima semana, os trabalhos da Câmara devem ter ritmo lento, uma vez que o último jogo da seleção brasileira na fase de grupos da Copa será na quarta-feira (27), dia que costuma ser o mais cheio no Congresso Nacional.</p><p>Assim, estão convocadas sessões apenas para segunda-feira (25) e terça-feira (26), mas a expectativa é que o número de parlamentares em Brasília seja baixo.</p><p>Segundo a equipe econômica, o cadastro positivo automático permitirá que mais empresas do setor financeiro tenham acesso a informações de bons pagadores, que hoje são restritos aos bancos nos quais os clientes têm suas contas.</p><p>Assim, empresas novatas e rivais poderão competir na oferta de crédito, o que, segundo eles, abrirá a porta para uma queda das taxas ao consumidor e a empresas por meio da concorrência.</p><p>O governo trabalha com a possibilidade de que os spreads bancários (diferença entre a taxa de captação dos bancos e a taxa final cobrada nos empréstimos) caiam até 30% no médio prazo.</p><p>A proposta do relator Walter Ihoshi (PSD-SP) prevê que o Banco Central envie ao Congresso relatório com os resultados alcançados após dois anos da vigência da lei, para verificar se houve de fato diminuição dos juros.</p><p>O artigo foi incluído no projeto de lei como parte de acordo com opositores para aprovar o texto-base.</p><p>Ele, porém, ainda enfrenta forte resistência de parlamentares ligados a grupos de defesa dos direitos do consumidor, mesmo dentro da base do governo.</p><p>Os opositores dizem que a proposta abre espaço para a utilização de dados sigilosos por empresas e birôs de crédito.</p><p>"Eles serão mais poderosos do que o próprio governo", diz o líder do PRB, Celso Russomanno (SP), um dos principais opositores do projeto, e que capitaneia uma bancada de 21 parlamentares.</p><p>"Esse projeto interessa apenas ao sistema financeiro", diz o deputado.</p><p>Segundo nova previsão de Maia, os destaques devem ser apreciados na primeira semana de julho.</p><p>Se o governo não conseguir colocar o quórum necessário, a análise do projeto nesta legislatura se torna cada vez mais improvável, uma vez que a Casa tende a se esvaziar cada vez mais com a proximidade das eleições.</p><p>Por essa razão, líderes partidários da base têm apostado em uma nova estratégia: colocar as mudanças em votação no plenário da Câmara mesmo que o resultado seja negativo para o governo.</p><p>Isso porque o texto já foi aprovado no Senado, onde há apoio mais consolidado à proposta.</p><p>Assim, os senadores recomporiam o texto da Câmara com os artigos retirados pelos deputados, mas que constam da versão anterior.</p><p>Maia afirmou em abril que o presidente Michel Temer vetaria o projeto caso o Senado não confirmasse as mudanças feitas pela Câmara.</p><p>De acordo com ele, a estratégia de recompor os destaques não seria descumprir o acordo feito com Russomanno, pois isso seria feito com base no texto relatado por Ihoshi.</p><p>O banco de dados com informações positivas foi criado em 2011, mas nunca decolou porque exigia que os consumidores optassem pela adesão.</p><p>Assim, menos de 5 milhões de pessoas aderiram e incluíram suas informações no banco de dados.</p><p>Segundo projeções governistas, há potencial para inclusão de 100 milhões de consumidores brasileiros no cadastro positivo.</p> G1 Sat, 23 Jun 2018 03:45:00 -0300 Aliados de Alckmin temem que ex-secretário de SP preso faça delação https://ricmais.com.br/sc/noticias/aliados-de-alckmin-temem-que-ex-secretario-de-sp-preso-faca-delacao https://ricmais.com.br/sc/noticias/aliados-de-alckmin-temem-que-ex-secretario-de-sp-preso-faca-delacao <p>SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Dizendo-se surpreendidos pela prisão de um ex-secretário do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), aliados do presidenciável temem uma delação premiada e lamentam a má notícia para a imagem do tucano no momento em que o pré-candidato tenta demonstrar força para fechar alianças e decolar nas pesquisas.</p><p>Laurence Lourenço, ex-secretário de Transportes e ex-presidente da Dersa, estatal paulista que administra rodovias, e outros servidores foram presos na quinta-feira (21). Segundo a Polícia Federal e o Ministério Público, a Dersa assinou aditivos irregulares nas obras do Rodoanel que trouxeram prejuízo de mais de R$ 600 milhões.</p><p>Entre interlocutores de Alckmin, condenou-se a forma com que Lourenço foi preso, considerada feroz para constrangê-lo a delatar ou envolver outras pessoas no esquema investigado.</p><p>Aliados do presidenciável disseram que à defesa de Lourenço foi dificultado o acesso ao processo mesmo depois da prisão, em suposto método de pressão dos investigadores.</p><p>O temor é que o desenrolar da Operação Pedro no Caminho aponte abastecimento de caixa dois de campanha a partir de um superfaturamento nas obras do Rodoanel.</p><p>Até entre alckmistas que rechaçam a hipótese de delação lamenta-se que essa sombra volte a rondar o presidenciável. Há menos de um mês, outro dirigente da Dersa foi solto pela segunda vez sob a ameaça de que poderia delatar. Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, foi posto em liberdade no final de maio, por decisão de Gilmar Mendes, do Supremo.</p><p>Souza, suspeito de ser operador do PSDB, é investigado por supostas irregularidades em desapropriações do Rodoanel Sul que teriam gerado prejuízos de R$ 7,7 milhões.</p><p>Diante do novo revés de Alckmin, que atingiu de 6% a 7% em pesquisa Datafolha divulgada no último dia 10, aliados se apressaram em reforçar a defesa de que o tucano não tem qualquer envolvimento em eventuais esquemas irregulares.</p><p>Nas investigações sobre desvios do Rodoanel, a PF também identificou movimentações suspeitas nas contas do ex-diretor da Dersa Pedro da Silva, um dos presos na quinta.</p><p>Duas empresas das quais ele foi sócio receberam três depósitos que somam R$ 571 mil do Grupo Paulista de Investimentos e Participações.</p><p>O grupo, segundo a polícia, pertence a Law Kin Chong, já foi considerado um dos maiores contrabandistas do Brasil, dono de diversos imóveis em São Paulo. Chong foi preso em novembro de 2007.</p><p>A PF também identificou depósitos de pessoas físicas em espécie, possíveis laranjas.</p><p>"A movimentação está a indicar o recebimento de vultosas quantias, tendo como depositantes indivíduos que, em tese, não têm condições econômico-financeiras. Trata-se de graves indícios do recebimento de valores com origem ilícita", diz o relatório.</p> G1 Sat, 23 Jun 2018 02:55:00 -0300 Justiça liberta investigados por fraudes e desvios em obras do Rodoanel https://ricmais.com.br/sc/noticias/justica-liberta-investigados-por-fraudes-e-desvios-em-obras-do-rodoanel https://ricmais.com.br/sc/noticias/justica-liberta-investigados-por-fraudes-e-desvios-em-obras-do-rodoanel <p>FLÁVIO FERREIRA</p><p>SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Justiça Federal determinou a soltura de oito dos 15 suspeitos presos na Operação Pedra no Caminho, que apura fraudes e desvios nas obras do trecho norte do Rodoanel.</p><p>A decisão foi proferida na noite desta sexta (22) em favor dos investigados Carlos Henrique Lemos, Márcio Aurélio Moreira, Daniel de Souza Filardi, Enrique Martinez, Carlos Prado, Jairo Santos, Janaína Mariano e Hélio Correa.</p><p>A juíza da 5ª Vara Criminal Federal de São Paulo Maria Isabel do Prado determinou a libertação após o Ministério Público Federal alegar que não havia mais interesse na prisão deles para o andamento das investigações.</p><p>O ex-presidente da Dersa e ex-secretário estadual no governo de Geraldo Alckmin (PSDB-SP) Laurence Casagrande Lourenço, o ex-diretor de Engenharia da Dersa Pedro da Silva e outros cinco suspeitos não obtiveram a soltura.</p><p>Segundo a polícia e o Ministério Público, a estatal paulista Dersa assinou na gestão de Geraldo Alckmin (PSDB-SP) aditivos irregulares nas obras do Rodoanel que levaram a prejuízos de mais de R$ 600 milhões.</p> G1 Fri, 22 Jun 2018 23:12:00 -0300 Criticado, Trump convoca pais de vítimas de crimes de imigrantes https://ricmais.com.br/sc/noticias/criticado-trump-convoca-pais-de-vitimas-de-crimes-de-imigrantes https://ricmais.com.br/sc/noticias/criticado-trump-convoca-pais-de-vitimas-de-crimes-de-imigrantes <p>WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - "Eu não tive a sorte de ser separada por cinco ou dez dias [do filho]. Eu fui separada permanentemente."</p><p>Foi assim que a americana Laura Wilkerson, cujo filho foi morto por um imigrante ilegal, iniciou um evento organizado pela Casa Branca nesta sexta (22), quando o governo Donald Trump enfrenta críticas internas e externas à decisão de separar crianças migrantes dos pais que entram no país sem documentos.</p><p>Ela e outras 12 mães e pais estiveram ao lado do republicano para contar suas histórias. Seus filhos foram baleados, atropelados por motoristas embriagados, estuprados, torturados.</p><p>"Essas são as famílias que a mídia ignora. Não se fala delas", afirmou Trump, que voltou a defender o endurecimento das leis migratórias dos EUA e o maior controle de fronteiras.</p><p>O republicano não falou das famílias de imigrantes que ele prometeu reunificar ao assinar uma ordem executiva nesta semana. Tampouco respondeu às dúvidas que ainda existem sobre em que locais elas ficarão juntas enquanto aguardam o processo legal.</p><p>Mas o presidente citou números de um relatório do governo segundo o qual 25 mil homicídios foram cometidos por imigrantes sem documentação nos EUA ao longo de 55 anos. O mesmo documento contabiliza 70 mil crimes sexuais e 42 mil roubos.</p><p>Embora o relatório leve em conta crimes ocorridos entre 1955 e 2010, 90% deles ocorreram após 1990.</p><p>"Onde está a indignação da mídia com as políticas de 'prender e soltar' que permitem que criminosos violentos entrem em nossas comunidades?", questionou Trump.</p><p>Uma das presentes no evento, Sabine Durden, nasceu na Alemanha, país dispensado de visto de entrada nos EUA. Disse ter vindo ao país legalmente, após pagar "muito dinheiro" e levar cinco anos para virar cidadã americana. "Não arrastei meu filho pelo deserto. Eu o protegi do mal", disse.</p><p>Seu filho, Dominic Durden, foi morto em um acidente de carro em 2012, aos 30 anos. O acidente foi provocado por um imigrante ilegal guatemalteco que tinha uma ordem de deportação, fora notificado por crimes de trânsito, mas vivia em uma "cidade santuário" - nome dado a municípios americanos que não denunciam moradores sem documentação às com autoridades federais de imigração.</p><p>"É assim que eu abraço meu filho", disse Durden, ao tocar um bojudo medalhão pendurado em seu pescoço, onde estavam as cinzas do rapaz.</p><p>Trump voltou a pedir, no evento, a mudança das leis migratórias dos EUA, que ele qualificou como "as mais fracas na história mundial".</p><p>O presidente defende medidas como a adoção de critérios meritocráticos para conceder residência permanente e o fim de brechas legais que permitem às autoridades prender e soltar imigrantes que não tenham a documentação exigida.</p><p>Republicanos e democratas debatem o tema há meses no Congresso, mas não conseguem chegar a um acordo. Trump acusa os opositores de obstruírem o debate.</p><p>Já os democratas dizem se recusar a apoiar uma lei que estabeleça financiamento para o muro na fronteira com o México, promessa de campanha do presidente.</p><p>No total, cerca de 2.300 crianças foram separadas dos pais na fronteira desde abril, incluindo 49 brasileiros. Elas estão sob a custódia de abrigos mantidos pelo governo americano, enquanto os pais aguardam definição sobre seus processos na prisão.</p> G1 Fri, 22 Jun 2018 22:07:00 -0300 Justiça suspende decisão que limitava reajuste de plano de saúde individual https://ricmais.com.br/sc/noticias/justica-suspende-decisao-que-limitava-reajuste-de-plano-de-saude-individual https://ricmais.com.br/sc/noticias/justica-suspende-decisao-que-limitava-reajuste-de-plano-de-saude-individual <p>SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A decisão de limitar o reajuste anual de planos de saúde individuais e familiares a 5,72% foi suspensa nesta sexta-feira (22) pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região.</p><p>Com isso, o teto fixado pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) para o reajuste no período entre maio de 2018 e abril de 2019 passa a ser de 10%. Este percentual atinge cerca de 8 milhões de beneficiários -17% dos 47,3 milhões de consumidores de planos de assistência médica no Brasil, segundo a agência.</p><p>Quando a decisão liminar de limitar o reajuste foi concedida, no dia 12, o juiz afirmou que indicou o limite de 5,72% de acordo com o IPCA (índice de preços ao consumidor) do setor de saúde e cuidados especiais. Conforme a liminar, ficou evidente nos apontamentos do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) que a ANS não deixa claro o critério para estabelecer os aumentos, o que abre margem para arbitrariedades.</p><p>Em recurso, a agência relatou que o cálculo desse índice é feito a partir da média ponderada dos reajustes aplicados aos planos coletivos e amparado em "estudos internacionais que legitimam todos os percentuais já autorizados".</p><p>O uso do IPCA para a definição de tal valor, portanto, seria "equivocado", uma vez que este leva em conta a variação de preços --enquanto o reajuste de planos leva em conta os custos envolvidos.</p><p>O desembargador federal Nelson dos Santos, do TRF-3 escreve que "parece ser inquestionável" que os reajustes não possam ser pautados pela inflação e que, se fosse esse o caso, o papel de reguladora da ANS seria nulo.</p><p>O Idec não se manifestou até a publicação deste texto.</p><p>No país, 458 operadoras comercializam planos individuais. O reajuste só pode ser aplicado a partir da data de aniversário de cada contrato. No entanto, é permitida a cobrança de valor retroativo entre a aplicação e o aniversário do contrato.</p> G1 Fri, 22 Jun 2018 22:00:00 -0300 Sete apostadores dividem prêmio de mais de R$ 4 milhões da Lotofácil https://ricmais.com.br/sc/noticias/sete-apostadores-dividem-premio-de-mais-de-r-4-milhoes-da-lotofacil https://ricmais.com.br/sc/noticias/sete-apostadores-dividem-premio-de-mais-de-r-4-milhoes-da-lotofacil <p>SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Sete apostadores acertaram as 15 dezenas do concurso 1679 da Lotofácil, realizado nesta sexta-feira (22), em Campina Grande (PB). Cada um deles vai receber o prêmio de R$ 605.841,28.</p><p>Os números sorteados foram os seguintes: 05, 07, 08, 09, 10, 11, 12, 14, 15, 16, 17, 19, 20, 21 e 23.</p><p>O prêmio estimado para o próximo sorteio, no dia 25, é de R$ 1,7 milhão.</p><p>Confira o rateio oficial:</p><p>15 acertos - 7 apostas ganhadoras, R$ 605.841,28</p><p>14 acertos - 528 apostas ganhadoras, R$ 1.879,56</p><p>13 acertos - 16811 apostas ganhadoras, R$ 20,00</p><p>12 acertos - 210187 apostas ganhadoras, R$ 8,00</p><p>11 acertos - 1122138 apostas ganhadoras, R$ 4,00</p><p>LOTOMANIA</p><p>Não houve ganhador no concurso 1877 da Lotomania, realizado nesta sexta-feira (22), em São Paulo. O prêmio estimado para o próximo sorteio, no dia 26, é de R$ 2 milhões. Os números sorteados foram: 03, 04, 11, 19, 26, 28, 33, 38, 44, 46, 57, 67, 70, 81, 82, 85, 88, 93, 94 e 98.</p><p>Confira o rateio oficial:</p><p>20 números acertados - Não houve acertador</p><p>19 números acertados - 1 aposta ganhadora, R$ 198.925,36</p><p>18 números acertados - 91 apostas ganhadoras, R$ 1.366,24</p><p>17 números acertados - 865 apostas ganhadoras, R$ 143,73</p><p>16 números acertados - 4803 apostas ganhadoras, R$ 25,88</p><p>15 números acertados - 20923 apostas ganhadoras, R$ 5,94</p><p>0 acertos - Não houve acertador</p> G1 Fri, 22 Jun 2018 21:58:00 -0300 Universitário é morto em tentativa de assalto em SP https://ricmais.com.br/sc/noticias/universitario-e-morto-em-tentativa-de-assalto-em-sp https://ricmais.com.br/sc/noticias/universitario-e-morto-em-tentativa-de-assalto-em-sp <p>SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O estudante de arquitetura e urbanismo Gustavo Henrique Duque Castilho de Moraes, 22, foi morto na última quarta-feira (20) no Butantã (zona oeste de SP) durante uma tentativa de assalto. Estava com um amigo de 23 anos, que dirigia e não se feriu.</p><p>Quando passaram pelas avenidas Escola Politécnica com a Kenkit Simomoto, próximo à USP (Universidade São Paulo), às 21h, foram surpreendidos por dois jovens numa moto. Um suspeito adulto e um de 17 anos anunciaram o assalto. No susto, segundo a polícia, o motorista acelerou e o bandido adulto, que fez a abordagem, acertou a nuca de Moraes, no banco do passageiro. Os dois bandidos fugiram na moto sem levar nada.</p><p>Moraes foi levado ao Hospital das Clínicas, mas não resistiu. Segundo o delegado Elder Hamilton Leal, do 91º DP (Vila Leopoldina), Moraes teve morte cerebral decretada quando o resgate chegou.</p><p>Os suspeitos foram perseguidos por policiais militares, que deram ordem de parada. Em seguida, os bandidos bateram no poste de um semáforo a cerca de 2,4 km de onde o crime aconteceu.</p><p>O suspeito maior de idade foi levado ao Hospital Universitário e, com ele, foram apreendidos R$ 201, um revólver e um celular. O adolescente foi para o Pronto Socorro Bandeirantes e a polícia apreendeu o celular que estava com ele.</p><p>Em nota, a Universidade São Judas, onde Moraes estudava, lamentou a morte de seu aluno e manifestou condolência a amigos e familiares da vítima.</p> G1 Fri, 22 Jun 2018 21:53:00 -0300 Vitória Gabrielly morreu esganada, segundo laudo preliminar https://ricmais.com.br/sc/noticias/vitoria-gabrielly-morreu-esganada-segundo-laudo-preliminar https://ricmais.com.br/sc/noticias/vitoria-gabrielly-morreu-esganada-segundo-laudo-preliminar <p>ARAÇARIGUAMA, SP (FOLHAPRESS) - A estudante Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, 12 anos, morreu por asfixia provocada por esganadura. A informação foi confirmada por fonte policial que terá o nome preservado.</p><p>A causa consta em um laudo preliminar apresentado por peritos à Polícia Civil esta semana. O dia do encontro não foi informado.</p><p>A jovem teria sido executada por engano e a motivação do crime seria uma vingança.</p><p>Esta é a principal linha de investigação, declarada na tarde de ontem pelo delegado seccional de Sorocaba (99 km de SP) Marcelo Carriel.</p><p>"Nada indica [que ela fosse o alvo da vingança]. Não há histórico, passado ou recente, contra a família ou qualquer parente da vítima". A polícia investiga "quem seria o alvo correto" dos assassinos de Vitória, segundo Carriel.</p><p>A jovem foi sequestrada por criminosos no dia 8 de junho, quando andava de patins perto de um ginásio.</p><p>Uma câmera de vigilância registrou os últimos momentos da garota que, segundo a polícia, foi morta no mesmo dia em que foi sequestrada.</p><p>Carriel disse que ao menos duas pessoas participaram do crime e que aguarda o resultado de laudos periciais, sem especificar quando serão concluídos. "A linha de investigação pode mudar de forma definitiva."</p><p>Somente o servente de pedreiro Júlio César Lima Ergesse, 24 anos, está preso. "Ele, de forma geral, com algumas controvérsias, mantém a versão de que estava no carro (usado para raptar Vitória), junto com um casal".</p><p>O carro mencionado pelo suspeito foi periciado. Nenhuma prova contra o casal indicado por Ergesse foi encontrada. No entanto, a polícia ainda considera os três como principais suspeitos.</p><p>A Polícia Civil de Araçariguama também analisa cerca de 300 horas de filmagens. O material registrou três rotas possíveis usadas pelos assassinos, entre o ginásio e o matagal onde Vitória foi encontrada. Setenta pessoas prestaram depoimento à polícia.</p> G1 Fri, 22 Jun 2018 21:52:00 -0300 Trens da CPTM em São Paulo terão intervalos maiores no final de semana https://ricmais.com.br/sc/noticias/trens-da-cptm-em-sao-paulo-terao-intervalos-maiores-no-final-de-semana https://ricmais.com.br/sc/noticias/trens-da-cptm-em-sao-paulo-terao-intervalos-maiores-no-final-de-semana <p>SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Por causa das obras de modernização do sistema, os trens da CPTM vão circular com intervalos maiores neste final de semana, nos dias 23 e 24.</p><p>O intervalo médio será de 20 minutos. O maior tempo de espera será na linha 8-diamante, entre as estações Barueri e Itapevi, com 32 minutos. No domingo (24), na linha 13-jade, a circulação ficará interrompida entre as estações Tatuapé e Comendador Ermelino. Para seguir viagem no trecho, os usuários poderão utilizar ônibus gratuito, com distribuição de senhas nas estações.</p> G1 Fri, 22 Jun 2018 21:50:00 -0300 Confira os destaques do Ver Mais desta segunda-feira. https://ricmais.com.br/sc/programas/ver-mais-joinville/confira-os-destaques-do-ver-mais-desta-segunda-feira-23 https://ricmais.com.br/sc/programas/ver-mais-joinville/confira-os-destaques-do-ver-mais-desta-segunda-feira-23 ver-mais-joinville G1 Fri, 22 Jun 2018 21:32:25 -0300 Pesquisa mostra avaliação do governo de Michel Temer e intenção de voto para presidente https://ricmais.com.br/sc/programas/ric-noticias-sc/pesquisa-mostra-avaliacao-do-governo-de-michel-temer-e-intencao-de-voto-para-presidente https://ricmais.com.br/sc/programas/ric-noticias-sc/pesquisa-mostra-avaliacao-do-governo-de-michel-temer-e-intencao-de-voto-para-presidente Foram ouvidos 1.100 eleitores de forma presencial em 82 cidades de Santa Catarina, entre os dias 15 e 21 de junho. Pesquisa do Grupo RIC foi registrada no TSE com o número 07340/2018.ric-noticias-sc G1 Fri, 22 Jun 2018 20:46:04 -0300 A Hora da Venenosa: selfie https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/a-hora-da-venenosa-selfie https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/a-hora-da-venenosa-selfie Confira as selfies do dia 22 de junho no programa A Hora da Venenosabalanco-geral-florianopolis G1 Fri, 22 Jun 2018 20:43:10 -0300 A Hora da Venenosa: Climão dos famosos https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/a-hora-da-venenosa-climao-dos-famosos-15 https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/a-hora-da-venenosa-climao-dos-famosos-15 Luciana Gimenez posta foto com filho e Mick Jagger; o cabelo de Neymar Jr.balanco-geral-florianopolis G1 Fri, 22 Jun 2018 20:41:43 -0300 Ilustrador do Notícias do Dia expõe desenhos baseados na periferia brasileira https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/ilustrador-do-noticias-do-dia-expoe-desenhos-baseados-na-periferia-brasileira https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/ilustrador-do-noticias-do-dia-expoe-desenhos-baseados-na-periferia-brasileira Ricardo Manhães atua há 14 anos no mercado europeu de histórias em quadrinhos, possui 40 álbuns publicados na França, na Bélgica e na Holanda. É o criador da personagem “gothic girl”.balanco-geral-florianopolis G1 Fri, 22 Jun 2018 20:37:08 -0300 Empresário de Criciúma é o primeiro catarinense a chegar ao topo do Everest https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/empresario-de-criciuma-e-o-primeiro-catarinense-a-chegar-ao-topo-do-everest https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/empresario-de-criciuma-e-o-primeiro-catarinense-a-chegar-ao-topo-do-everest André Freitas iniciou a expedição em 28 de março e completou a expedição no dia 21 de maiobalanco-geral-florianopolis G1 Fri, 22 Jun 2018 20:34:38 -0300 Criminosos clonam chips de celulares https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/criminosos-clonam-chips-de-celulares https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/criminosos-clonam-chips-de-celulares A Polícia Civil investiga um novo golpe praticado aqui no Estado. Criminosos clonam chips de celulares e se passam pelo dono da linha telefônica em conversas de aplicativos.balanco-geral-florianopolis G1 Fri, 22 Jun 2018 20:31:39 -0300 Pesquisa mostra intenção de voto para o Senado em SC https://ricmais.com.br/sc/programas/ric-noticias-sc/pesquisa-mostra-intencao-de-voto-para-o-senado-em-sc https://ricmais.com.br/sc/programas/ric-noticias-sc/pesquisa-mostra-intencao-de-voto-para-o-senado-em-sc Foram ouvidos 1.100 eleitores de forma presencial em 82 cidades de Santa Catarina, entre os dias 15 e 21 de junho. Pesquisa do Grupo RIC foi registrada no TSE com o número 07340/2018.ric-noticias-sc G1 Fri, 22 Jun 2018 20:26:46 -0300 Duplicação da Avenida Deputado Antonio Edu Vieira está parada desde o ano passado https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/duplicacao-da-avenida-deputado-antonio-edu-vieira-esta-parada-desde-o-ano-passado https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/duplicacao-da-avenida-deputado-antonio-edu-vieira-esta-parada-desde-o-ano-passado A continuação dos trabalhos depende da liberação de um terreno. Tudo foi acertado em um acordo entre UFSC e prefeitura, mas não está sendo cumprido.balanco-geral-florianopolis G1 Fri, 22 Jun 2018 20:22:41 -0300 Luiz Carlos Prates: quem maltrata animais é estúpido https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/luiz-carlos-prates-quem-maltrata-animais-e-estupido https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/luiz-carlos-prates-quem-maltrata-animais-e-estupido Maus tratos a animais vai além da violência física. Negligência, descaso e abandono também podem causar detenção e multa para os responsáveis.balanco-geral-florianopolis G1 Fri, 22 Jun 2018 20:19:30 -0300 Vala no Campo de Aviação do Campeche irrita moradores https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/vala-no-campo-de-aviacao-do-campeche-irrita-moradores https://ricmais.com.br/sc/programas/balanco-geral-florianopolis/vala-no-campo-de-aviacao-do-campeche-irrita-moradores Comunidade reclama de uma ação realizada no campo da Base Aérea, que abriu um buraco no local.balanco-geral-florianopolis G1 Fri, 22 Jun 2018 20:15:15 -0300 Empresa referência em carne suína temperada é uma das atrações da Exposuper, em Joinville https://ricmais.com.br/sc/programas/jornal-do-continente/empresa-referencia-em-carne-suina-temperada-e-uma-das-atracoes-da-exposuper-em-joinville https://ricmais.com.br/sc/programas/jornal-do-continente/empresa-referencia-em-carne-suina-temperada-e-uma-das-atracoes-da-exposuper-em-joinville A Exposuper, é a maior feira do setor supermercadista do estado, que todo ano movimenta a cidade de Joinville, no complexo Exploville.jornal-do-continente G1 Fri, 22 Jun 2018 16:54:23 -0300 Feira supermercadista reúne empresário e comerciantes em Joinville https://ricmais.com.br/sc/programas/jornal-do-continente/feira-supermercadista-reune-empresario-e-comerciantes-em-joinville https://ricmais.com.br/sc/programas/jornal-do-continente/feira-supermercadista-reune-empresario-e-comerciantes-em-joinville A feira Exposuper está movimentando em Joinville. Confira mais um dos atrativos que você vai encontrar na maior feira supermercadista do estado.jornal-do-continente G1 Fri, 22 Jun 2018 16:51:10 -0300 Feira supermercadista reúne empresários de todo Brasil em Joinville https://ricmais.com.br/sc/programas/jornal-do-continente/feira-supermercadista-reune-empresarios-de-todo-brasil-em-joinville https://ricmais.com.br/sc/programas/jornal-do-continente/feira-supermercadista-reune-empresarios-de-todo-brasil-em-joinville A Exposuper 2018 tem mais de 250 estantes. A feira reúne empresários do Brasil e registra lotação de público em Joinville.jornal-do-continente G1 Fri, 22 Jun 2018 16:47:49 -0300 Feira do setor supermercadista deve movimentar cerca de R$400 milhões em negócios https://ricmais.com.br/sc/programas/jornal-do-continente/feira-do-setor-supermercadista-deve-movimentar-cerca-de-r-400-milhoes-em-negocios https://ricmais.com.br/sc/programas/jornal-do-continente/feira-do-setor-supermercadista-deve-movimentar-cerca-de-r-400-milhoes-em-negocios Joinville, mais uma vez, é sede da maior feita do setor supermercadista do estado. A Exposuper é realizada até a próxima quinta-feira (28) e é direcionada a empresários do ramo.jornal-do-continente G1 Fri, 22 Jun 2018 16:45:00 -0300