Saúde

Presença do coronavírus nos esgotos de Curitiba dispara e gera alerta

Os valores encontrados são de 4 a 6 vezes superiores aos registrados no levantamento anterior

Luciano
Luciano Balarotti / Editor
Presença do coronavírus nos esgotos de Curitiba dispara e gera alerta
(Foto: André Thiago/Sanepar)

6 de maio de 2022 - 09:08 - Atualizado em 6 de maio de 2022 - 09:11

Dados colhidos em cinco estações de tratamento de esgoto em Curitiba detectaram um aumento significativo da presença do coronavírus. Os valores encontrados são de 4 a 6 vezes superiores aos registrados no levantamento anterior, de 12 de abril, o que fez a Rede Monitoramento Covid Esgotos emitir uma nota de alerta para as autoridades municipais.

De acordo com a nota, o aumento da carga do vírus no esgoto verificado nas últimas três semanas acompanha a elevação do número de novos casos de Covid-19 registrados em Curitiba.

Nas três semanas epidemiológicas analisadas (16, 17 e 18) foram registradas cargas virais no esgoto iguais a 214, 149 e 213 bilhões de cópias genômicas do SARSCoV-2 por dia para cada 10 mil habitantes, respectivamente. Esses valores são de 4 a 6 vezes maiores ao valor registrado no levantamento anterior, referente à 15ª semana epidemiológica, em 12 de abril, que foi de 34 bilhões de cópias genômicas.

Leia também: Feirão oferta mais de mil vagas de emprego em Curitiba neste sábado (7)

A Rede Monitoramento Covid Esgotos foi criada com intuito de ampliar a disponibilidade de informações para o enfrentamento da pandemia de Covid-19 por meio do monitoramento do SARSCoV-2 nos esgotos das capitais brasileiras Belo Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e do Distrito Federal. A Rede é coordenada pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Estações de Tratamento de Esgotos Sustentáveis (INCT ETEs Sustentáveis) e pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Em Curitiba, especificamente, o projeto é coordenado pela
Universidade Federal do Paraná (UFPR) e conta com o apoio da Companhia de Saneamento do Paraná (SANEPAR).