Coronavírus

Mulher volta para casa, após ficar 105 dias internada em decorrência da Covid-19

Em vídeo emocionante, ela fala sobre a doença e pede para a comunidade se cuidar; “Se você ama sua família, se cuide”

Aline
Aline Cristina / Repórter
Mulher volta para casa, após ficar 105 dias internada em decorrência da Covid-19
(Foto: reprodução arquivo família)

14 de setembro de 2021 - 09:39 - Atualizado em 16 de setembro de 2021 - 08:50

Vencedora, esta palavra define Rosa Mirian Galli, moradora de Toledo, cidade que fica no Oeste do Paraná. Ela ficou internada 105 dias destes 103 na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) por conta da Covid-19. Na última semana ela recebeu alta e foi para casa, no Jardim Santa Clara IV, onde mora desde 2004.

A felicidade de família e amigos com a chegada da mulher foi registrada em vídeos. Com música e palmas, todos que estavam no local se emocionaram.

Rosa, conversou com a equipe do Portal RIC Mais e falou sobre sua luta contra a doença. A mulher passou mal, estava com dificuldades para respirar e apresentava tosse e febre, diante do quadro  foi consultar. O resultado do teste rápido, deu positivo para a Covid-19. Diante da afirmação, ela fez exame de sangue no dia 23/05, que confirmou o que o teste rápido havia apontado. Ela estava com Coronavírus.

Deste momento em diante, começou uma luta diária para viver.  A mulher foi internada em uma casa hospitalar de Toledo, mas diante da gravidade do caso, precisou ser transferida para o hospital Rondon, que fica no município de Marechal Cândido Rondon, cerca de 40 quilômetros de Toledo.

Diante de seu estado delicado de saúde, a mulher conta que lembra apenas dos primeiros dias na enfermaria e o dia de regresso a sua casa. 

“Eu tinha muito medo. Lembro nitidamente de dois dias na enfermaria e o dia que recebi alta hospitalar.”

Rosa Mirian Galli – auxiliar de produção

“Foi desesperador, o medo tomando conta de todos mas sem perder a fé e a esperança em Deus. Após passar o tempo de contágio foi liberado para visitá-la. Então nós víamos ela uma vez na semana.” 

Rose Marie Galli – irmã

A família conta que a equipe do hospital foi imprescindível durante o período em que a mulher estava internada. Assim como Rosa, que se emociona ao relatar que construiu uma nova família.

“A equipe toda maravilhosa super preocupada com tudo o tempo todo,só tenho gratidão por tudo só de falar deles já me emociono pois a saudades já está tomando conta, uma família nova que construí.”

Rosa Mirian Galli – auxiliar de produção

“ Houve três vezes em que quase perdemos ela, diante da situação agravada, Rosa precisou passar por três hemodiálises e também ficou com sequelas nos pulmões e rins.”

Rose Marie Galli – irmã

A empresa, onde a mulher trabalha, como auxiliar de produção na parte de documentação, acompanhou a família e a funcionária durante todo esse período de internação, e por meio de nota, falou sobre a preocupação em relação aos casos, tentando ao máximo evitar o contágio, explicando e fazendo ações com os funcionários.

“Desde o início demos o suporte para a família, com auxílio de medicamentos, fraldas, enfim o que estava sendo necessário. E outro ponto, foi o reforço nos cuidados e principalmente, nos informativos com os colaboradores, para evitar situações como essa, não só de quem trabalha aqui, mas também das pessoas em geral. Essa é uma preocupação que a Prati-Donaduzzi, teve desde do início da pandemia.”

Prati-Donaduzzi

Emociona e em casa, a mulher pede para que a comunidade, não leve o vírus como uma brincadeira

“ Para quem leva na brincadeira esse vírus, não é brincadeira. Pouco me lembro do tempo que eu estava na UTI, agora estou em casa, me recuperando. Gente, se cuidem, se você ama sua família, se cuide, porque é a coisa mais importante, Deus sabe porque eu voltei.”

Rosa Mirian Galli – auxiliar de produção
https://ricmais.com.br/noticias/coronavirus/