Notícias

Ministro da Saúde diz que caso suspeito de ebola está sob controle

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

10 de outubro de 2014 - 00:00 - Atualizado em 10 de outubro de 2014 - 00:00

Ao falar sobre o primeiro caso suspeito de ebola no Brasil, registrado no município de Cascavel (PR), o ministro da Saúde, Arthur Chioro, afirmou nesta sexta-feira (10), durante entrevista coletiva, que a situação está sob controle. “Todos os procedimentos realizados foram feitos em um tempo-resposta extremamente adequado e em cumprimento a todo os requisitos de protocolo.” Veja a reportagem sobre o pronunciamento do ministro:

Chioro explicou que a identificação do caso foi feita pela Secretaria de Saúde de Cascavel que, em seguida, isolou o paciente e notificou a Secretaria de Saúde do Paraná e o Ministério da Saúde. A Organização Mundial da Saúde (OMS), segundo o governo brasileiro, já foi informada sobre o caso suspeito.

As informações da pasta indicam que o homem de 47 anos, solteiro, saiu da Guiné no dia 18 de setembro sem referir contato com pessoas infectadas pelo ebola. No dia 19 de setembro, ele desembarcou no aeroporto de Guarulhos. Ontem (9), procurou atendimento na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Cascavel relatando febre, tosse e dor de garganta, sintomas iniciados na última quarta-feira (8) – 20 dias depois de sair da Guiné.

Confira a matéria sobre o caso exibida pelo programa Balanço Geral Curitiba:

Foram identificadas 64 pessoas que tiveram algum tipo de contato com o homem, sendo 60 delas na UPA de Cascavel e três que tiveram contato direto com o paciente. A Unidade de Pronto Atendimento chegou a ser totalmente interditada, porém, voltou a ser reaberta na tarde desta sexta-feira (10). 

Dois casais hospedados na mesma residência em que o homem estava também estão sendo monitorados. Todas essas pessoas são consideradas de baixo risco, mas serão submetidas ao monitoramento de temperatura uma vez por dia durante 21 dias.

Exames

O último boletim médico indica que o estado geral de saúde do paciente é bom e que ele não apresenta febre ou qualquer outro sintoma, como hemorragia ou diarreia. Ele permanece em isolamento total.

O resultado do exame que vai confirmar ou descartar o primeiro caso de ebola no Brasil deve ser divulgado em até 24 horas pelo Ministério da Saúde. De acordo com a pasta, a amostra já foi colhida e deve chegar nas próximas horas ao Instituto Evandro Chagas, no Pará.

As amostras foram coletadas no Instituto Nacional de Infectologia nesta sexta pela manhã. Se o resultado der negativo, o exame será repetido em 48 horas. Qualquer mudança no procedimento somente será adotada mediante a confirmação dos exames – sejam eles positivos ou negativos.

Durante coletiva de imprensa, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, disse que o homem de 47 anos procedente da Guiné já passou por uma testagem para malária e o resultado foi negativo. Ele ressaltou que o Instituto Evandro Chagas é considerado uma referência internacional em febres hemorrágicas e trabalha com todos os preceitos máximos de segurança.

“Deveremos ter o resultado em até 24 horas. Se tivermos a liberação antes, imediatamente tornaremos público”, disse. Chioro lembrou que o protocolo internacional para confirmação de ebola exige dois exames laboratoriais. Portanto, independentemente do primeiro resultado, uma segunda amostra será colhida 48 horas depois.

O ministro destacou que o ebola não é transmitido pelo ar, pela água ou por alimentos, apenas pelo contato direto com o sangue e fluidos corporais do paciente ou com superfícies contaminadas. Ainda segundo ele, durante o período de incubação, não há transmissão do vírus.

“As pessoas que viajaram ou que entraram em contato com ele antes do dia 8 não correm risco de ter contraído a doença”, disse. Hoje, às 18h, uma nova coletiva será conduzida pela pasta para atualização das informações. A expectativa da própria pasta, entretanto, é que o resultado do exame ainda não tenha ficado pronto.