Saúde

“Meu marido não teve a mesma chance”: Mulher mostra cartaz emocionante ao ser vacinada

Conheça a história de Renata, moradora de Arapongas, no norte do Paraná; em 2020, ela perdeu o esposo, vítima da covid-19

Bruna
Bruna Melo / Repórter
“Meu marido não teve a mesma chance”: Mulher mostra cartaz emocionante ao ser vacinada
Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

10 de julho de 2021 - 12:14 - Atualizado em 10 de julho de 2021 - 12:27

Durante a vacinação contra a covid-19 em Arapongas, norte do Paraná, uma paciente chamou atenção. Ela carregava um cartaz escrito “Meu marido não teve a mesma chance”, ao tomar a dose nesta quinta-feira (8).

@renattabryanb

meu marido não teve a mesma chance ?#vacinacovid19

♬ som original – Renata Ramos de Souz

Renata Ramos é esposa de Fernando José, uma das 532 mil vidas perdidas para o novo coronavírus no Brasil. Fernando tinha 41 anos e morreu em maio de 2020, ainda no início da pandemia. Eles moravam em São Paulo, capital. Depois do falecimento, Renata e os três filhos se mudaram para o Paraná.

“Meu marido era motorista de ônibus e estava de férias. Começou com um senhor [positivado] na minha rua, ele não respeitou a quarentena”,

Renata lembra.

O casal procurou ajuda no momento que em Fernando teve febre. Entretanto, o médico que o atendeu não realizou o teste da covid-19. Dois dias após a consulta, o homem já estava com 50% dos pulmões comprometido e precisou ser internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Renata conta que o cartaz foi uma forma que ela encontrou para homenagear o marido e, ao mesmo tempo, protestar contra o sistema de Saúde do país.

“Ele era novo, só tinha 41 anos. Não deu tempo de ele tomar a vacina. Isso dói muito na gente. Ele poderia ter tomado a vacina e isso ter salvado ele”,

desabafa.

Ao ser vacinada, Renata diz ter tido um “misto de diferentes sentimentos”. Devido a tristeza pela perda, não comemorou, mas se sentiu agradecida por ser imunizada. “Eu fico lembrando de tantas vidas perdidas que não tiveram a mesma chance”, explica.

Doações

Renata tem três filhos: duas meninas, de 22 anos e 3 anos, e um menino, de 10. Tanto a filha de 22 anos quanto o menino de 10 possuem necessidades especiais. Ela cuida dos três sozinha, em Arapongas, e precisa de fraldas tamanho XG adulto e XG infantil. Caso possa fazer uma doação, mande uma mensagem no telefone (43) 9 9600-2557.

https://ricmais.com.br/noticias/coronavirus/