Saúde

Médica afastada após posts ofensivos reconhece erro e pede desculpas: “amo minha profissão”

Jovem profissional foi afastada da UPA 24h de Almirante Tamandaré após o CRM-PR abrir sindicância para apurar publicações realizadas nas redes sociais

Guilherme
Guilherme Becker / Editor
Médica afastada após posts ofensivos reconhece erro e pede desculpas: “amo minha profissão”
(Foto: Venilton Kuchler/AEN)

25 de maio de 2022 - 07:07 - Atualizado em 25 de maio de 2022 - 07:07

A médica, que foi alvo de denúncias após compartilhar mensagens ofensivas e desrespeitosas contra pacientes nas redes sociais, reconheceu o erro nesta terça-feira (24). Depois dos posts viralizarem na internet, o Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR) abriu uma sindicância para apurar o caso e a Prefeitura de Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba, afastou a profissional da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), onde a jovem realizava plantões.

Em mensagem enviada à equipe do RIC Mais, na noite desta terça-feira (24), a médica revelou que fez as postagens em um momento de estresse e cansaço, como forma de desabafo. Ainda de acordo com a profissional, a principal preocupação dela era que todos que precisam do atendimento da UPA fossem bem atendidos.

“Reconheço ter errado, especialmente pela forma como escrevi as mensagens, mas ressalto que a forma de indignação foi pensando no bem estar geral dos pacientes. Entendo que todos mereçam ótimo tratamento e foi assim que sempre agi, porém sempre me preocupei que pessoas com sintomas que deveriam ser tratados em UBS e serviços ambulatoriais pudessem causar filas que gerassem risco ao atendimento de pessoas em situações de urgência/emergência”,

declarou.

Diante dos diversos ataques sofridos na internet, a mulher pediu desculpa pelo teor das publicações e ressaltou que a atitude não interferiu no modo como ela atende os pacientes. 

“Peço desculpas, principalmente porque amo minha profissão e meu contato diário com os pacientes. Atendo a todos que comparecem no pronto socorro com o máximo cuidado, dedicação e respeito, sempre buscando o melhor tratamento para os sintomas apresentados”,

destacou.

Confira a mensagem da médica na íntegra:

Olá

Venho aqui me desculpar pelas mensagens escritas no meu twitter sobre os meus plantões realizados no pronto socorro médico. As mensagens foram escritas em desabafo em momento de estresse e cansaço.

Peço desculpas, principalmente porque amo minha profissão e meu contato diário com os pacientes. Atendo a todos que comparecem no pronto socorro com o máximo cuidado, dedicação e respeito, sempre buscando o melhor tratamento para os sintomas apresentados.

Reconheço ter errado, especialmente pela forma como escrevi as mensagens, mas ressalto que a forma de indignação foi pensando no bem estar geral dos pacientes. Entendo que todos mereçam ótimo tratamento e foi assim que sempre agi, porém sempre me preocupei que pessoas com sintomas que deveriam ser tratados em UBS e serviços ambulatoriais pudessem causar filas que gerassem risco ao atendimento de pessoas em situações de urgência/emergência.

Também me preocupava, por exemplo, que gestantes pudessem ser melhor atendidas em uma maternidade, com todo o suporte, do que em um pronto socorro. Enfim, minha preocupação sempre foi o melhor atendimento de todos os pacientes, e reconheço que errei ao me manifestar da forma como fiz no meu twitter.

Garanto que minhas manifestações, por outro lado, nada influenciaram na forma como eu atendi meus pacientes, o que fiz sempre com todo cuidado e cumprindo minha vocação para a medicina. Isso pode ser testemunhado também por meus colegas de trabalho, a quem agradeço pelo apoio que têm me dado neste momento.

Colegas defendem médica

Nesta terça-feira (24), a Prefeitura de Almirante Tamandaré comunicou o afastamento da médica enquanto o caso é investigado. Além disso, reforçou que, segundo colegas de trabalho da jovem, a profissional “sempre atendeu todos os pacientes com muito respeito e simpatia, sem reclamações por parte da população”.

Publicações polêmicas

Apesar de jovem, e com apenas oito meses de inscrição no CRM-PR, a médica acumula outras publicações polêmicas em relação à profissão. Nas redes sociais, que agora estão todas privadas, a mulher compartilhou momentos da rotina em que não concorda com a atitude dos pacientes. Veja algumas publicações: