Saúde

Hospital de Umuarama é interditado após pedido do Ministério Público

Com a interdição, o hospital só pode realizar atendimentos clínicos

Renan
Renan Vallim / Repórter
Hospital de Umuarama é interditado após pedido do Ministério Público
Hospital teve o setor de esterilização interditado | Foto: Arquivo/AEN

23 de maio de 2022 - 10:40 - Atualizado em 23 de maio de 2022 - 10:40

O Hospital Nossa Senhora Aparecida, em Umuarama, foi interditado após pedido do Ministério Público do Paraná (MPPR). A instituição estaria funcionando há mais de seis meses com problemas, inclusive no setor de esterilização, podendo gerar riscos a pacientes e funcionários.

O MPPR havia requisitado ao secretário municipal de Saúde de Umuarama e à diretora da 12ª Regional de Saúde (RS), na última quarta-feira (18), a interdição e/ou suspensão das atividades do hospital da cidade. Entre as irregularidades encontradas está, por exemplo, o fato de a Central de Material Esterilizado não funcionar adequadamente, de modo que estariam sendo utilizados materiais sem a assepsia necessária.

O pedido do MPPR dava 48 horas para que o hospital se adequasse e apresentasse documentos que comprovassem o funcionamento adequado dos setores com problemas, o que ainda não aconteceu. Desta forma, o município interditou o funcionamento da Central de Material Esterilizado. Com a interdição, o hospital só pode realizar atendimentos clínicos.

Em nota, o hospital afirmou que “terceirizou os serviços de lavandeira e esterilização, até que a adequação interna dos serviços esteja concluída”. Ainda segundo o hospital, “a assistência aos pacientes internados prossegue normalmente e em poucos dias o serviços devem ser normalizados”.