Saúde

Governo não irá reservar segunda dose para imunizados com nova remessa de vacinas

Desta vez, todos os imunizantes serão destinados para a primeira aplicação no público prioritário. Determinação é do Ministério da Saúde

Daniela
Daniela Borsuk com Guilherme Becker
Governo não irá reservar segunda dose para imunizados com nova remessa de vacinas
(Foto: Ari Dias/AEN)

22 de março de 2021 - 12:21 - Atualizado em 22 de março de 2021 - 12:21

Nesta segunda-feira (22), o Governo do Estado inicia a distribuição de mais 240.450 doses de vacinas contra o coronavírus para as 22 Regionais de Saúde do Paraná. Desta vez, todos os imunizantes serão destinados para a primeira aplicação no público prioritário e o Governo não irá reservar as vacinas para a segunda dose de quem for vacinado. A medida é uma determinação do Ministério da Saúde.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, o objetivo de não reservar a segunda dose para os imunizados na primeira aplicação é ampliar o número de vacinados. É preciso ressaltar no entanto, que a eficácia da vacina só é garantida um tempo após a imunização com a primeira e também a segunda dose das vacinas que chegam no Paraná: a Coronavac, produzida pela Sinovac e Instituto Butantan, e a AstraZeneca, produzida pela Universidade de Oxford.

Com a determinação, os vacinados com a primeira aplicação terão que contar com o repasse no tempo correto de mais doses das vacinas por parte do Ministério da Saúde para garantir a imunização com a segunda dose.

Em entrevista para a RIC Record TV nesta segunda-feira (22), o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, afirmou que o Governo tem “capacidade de vacinar 220 mil pessoas por dia”, mas que as doses repassadas pelo Ministério da Saúde estão abaixo do esperado. “Ainda não é o quantitativo que esperamos”, reforçou.