Saúde

Curitiba: vacina da gripe está disponível para trabalhadores de saúde autônomos

Confira tasmbém a previsão de vacinação para outros grupos e as orientações para idosos e crianças

Giselle
Giselle Ulbrich com informações da Prefeitura de Curitiba
Curitiba: vacina da gripe está disponível para trabalhadores de saúde autônomos
Vacina contra a gripe. (Foto: Daniel Castellano/SMCS)

5 de maio de 2022 - 23:09 - Atualizado em 5 de maio de 2022 - 23:17

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) ampliou a vacinação contra a gripe para os trabalhadores de saúde autônomos. O novo grupo de profissionais de saúde será atendido no Conselho Regional de Enfermagem do Paraná (Rua Professor João Argemiro Loyola, 74, Seminário), de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Essa vacinação estará disponível até 3 de junho.

Pela campanha nacional de vacinação contra influenza, enquadram-se neste grupo os trabalhadores de espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde: médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontologistas, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais de educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares.

Também podem ser vacinados, aqueles profissionais que atuam em casas, como os cuidadores de idosos e doulas (parteiras). Os trabalhadores de apoio (recepcionistas, administrativos, seguranças, limpeza, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias) dos serviços de saúde também podem receber o imunizante, desde que comprovem vínculo profissional com um estabelecimento da área de saúde.

Eles deverão apresentar documento de identificação que comprove a vinculação com um serviço de saúde na capital ou carteira do conselho profissional e comprovante de residência com endereço válido de Curitiba.

Outros grupos

Nesta semana, também podem receber a vacina gestantes e puérperas (mães que tiveram filhos há até 45 dias). Para esse público o atendimento é de segunda a sexta-feira, em 97 unidades, das 8h às 17h. Confira os endereços no site Imuniza Já.

Idosos de 60 anos ou mais e crianças com idades entre seis meses e menores de cinco anos que já foram convocados, mas não puderam comparecer na data a vacina segue disponível nas 97 unidades de saúde.

Nova cepa H3N2 Darwin

O diretor do centro de epidemiologia da SMS, Alcides Oliveira, orienta sobre a importância da vacina contra a gripe.

“A campanha acontece anualmente devido as variantes do vírus da gripe, já vimos esse ano um surto de um uma nova cepa, a H3N2 Darwin. A nova vacina vem com essa proteção, por isso os grupos paritários, que são os mais vulneráveis para complicações causadas pela gripe, devem se vacinar”,

disse Oliveira.

Para esses públicos, a orientação é ir a um dos locais de atendimento e levar um documento com foto e CPF. No caso da vacinação infantil, é preciso apresentar documento com foto e CPF do pai ou responsável e um documento de identificação da criança.

A SMS lembra que em Curitiba continua obrigatório o uso máscaras em serviços de saúde. Portanto, para a vacinação, é obrigatório o uso de máscara.

Faltam ser convocados: professores; pessoas como comorbidades; pessoas com deficiência permanente; caminhoneiros; trabalhadores de transporte; trabalhadores portuários; forças de segurança; forças armadas; funcionários do sistema de privação de liberdade, a população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

A convocação de novo grupo depende da chegada de novas doses de imunizantes.

Crianças e idosos

No caso dos idosos, além da vacina da gripe, é oferecida também a quarta dose (segundo reforço) da vacina contra a covid. E no caso das crianças é oferecida a vacinação simultânea da Vacina Tríplice Viral (VTV), que protege contra caxumba, rubéola e sarampo.

A VTV será aplicada mesmo nas crianças que estiverem com a situação vacinal em dia, por orientação do Ministério da Saúde, depois de se verificar que o sarampo voltou a ter aumento de casos no país. Em Curitiba, não há registro da doença esse ano, mas com a circulação das pessoas para outras cidades, a doença pode chegar e se espalhar se não houver um grande movimento de vacinação.

No caso das crianças que já receberam ao menos uma dose da vacina influenza em anos anteriores, o esquema vacinal será com apenas uma dose contra a gripe. Já para as crianças que serão vacinadas pela primeira vez, a orientação é que a segunda dose seja aplicada 30 dias após a primeira.