Saúde

Covid-19: PR vacina 70% da população, e Beto Preto dispara: ‘vacinação em massa salvou a vida de muitos’

Ainda conforme Beto Preto, existe um alerta para uma possível tendência de aumento no número de casos

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações da AEN
Covid-19: PR vacina 70% da população, e Beto Preto dispara: ‘vacinação em massa salvou a vida de muitos’
Secretário Beto Preto alerta sobre nova onda de Covid-19. Foto: Geraldo Bubniak/AEN

17 de janeiro de 2022 - 14:38 - Atualizado em 17 de janeiro de 2022 - 14:39

Na véspera de completar um ano da vacinação contra a Covif-19 no Paraná, o estado atinge a marca de 70% da população vacinada com pelo menos a segunda dose. Segundo o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, a vacinação em massa salvou a vida de muitas pessoas. Atualmente, os paranaenses estão recebendo a dose de reforço e, em alguns casos, a quarta.

O secretário lamentou os impactos de quem escolheu não se vacinar: são a maioria entre os internados com quadros mais graves da infecção. Ele classificou a chegada das vacinas para crianças e adolescentes como “a vacina da esperança”.

“Fizemos uma luta grande para que não houvesse a necessidade da receita médica. As sociedades brasileiras de especialistas, infectologia, imunizações, pediatria, todos indicam vacinas. Contar com a possibilidade de uma vacina para o pai e a mãe que já estão vacinados e que agora podem ter a honra de vacinar seus filhos, tenho certeza que é a vacina da esperança”,

declarou o secretário.

Ainda conforme Beto Preto, existe um alerta para uma possível tendência de aumento no número de casos de Covid-19 no Paraná – ainda que leves devido a população imunizada – por conta da Ômicron, que teve o primeiro caso confirmado no último dia 12 de janeiro.

Ele também reforçou sobre a importância de manter os cuidados básicos para evitar a transmissão do vírus, como o uso de máscara e o distanciamento social.

Qual o impacto para quem não se vacinou?

Segundo Beto Preto, o impacto é que, hoje, daqueles que estão internados, 80% a 90% não tomaram a primeira dose ou não completaram o esquema vacinal.

“Então isso já demonstra que quem está ficando doente agora é quem está pouco vacinado ou não vacinado. A vacina é fundamental. E quem não toma vacina está vulnerável, vira uma presa fácil dos vírus”,

afirmou.
Quer mandar uma sugestão de pauta pro RIC Mais? Descreva tudo e mande suas fotos e vídeos pelo WhatsApp, clicando aqui.