Saúde

Casos de dengue sobem 47% em uma semana no Paraná

Foram mais 3.725 casos da doença no Paraná

Renan
Renan Vallim / Repórter
Casos de dengue sobem 47% em uma semana no Paraná
(Foto: Ilustrativa/Agência Senado)

6 de abril de 2022 - 12:46 - Atualizado em 28 de abril de 2022 - 14:47

O boletim semanal da dengue publicado nesta terça-feira (5) registra mais 3.725 casos da doença no Paraná, um aumento de 47% em relação aos números do informe anterior, de 29 de março. O boletim traz mais de 52 mil notificações, com 11.678 confirmações verificadas no atual período sazonal da doença, que iniciou no dia 1º de agosto e segue até julho de 2022.

Dos 353 municípios que registraram notificações de dengue, 258 confirmaram a doença. Destes, 26 confirmaram seus primeiros casos autóctones no período, ou seja, a dengue foi contraída no município de residência dos pacientes. Nesta semana, não houve registro de óbito.

Diante do cenário atual, as equipes da Vigilância Ambiental da Secretaria da Saúde estão em alerta para o combate à proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da zika, chikungunya e dengue, doenças chamadas de arboviroses. A dengue é considerada endêmica em todo o Paraná. Várias ações estão sendo tomadas a fim de intensificar e implementar medidas de prevenção e controle, além daquelas já existentes.

Duas pessoas já morreram em decorrência da dengue este ano no Estado: dois homens que residiam em Nova Esperança (Noroeste) e Arapongas (Norte).

As arboviroses (dengue, zika e chikungunya) são transmitidas pela picada do Aedes aegypti. É necessário ficar atento a possíveis criadouros do mosquito e, assim, eliminar esses locais de risco para evitar a propagação das doenças. É fundamental que a pessoa identifique os sintomas das arboviroses para buscar o serviço de saúde para diagnóstico e tratamento adequado, o quanto antes.