Saúde

Carnaval de rua 2022 é oficialmente cancelado em Foz do Iguaçu

Decisão tomada pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19 nesta quarta-feira (01) levou em consideração a nova variante do coronavírus – Ômicron -, que ainda está em análise por pesquisadores

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações da prefeitura de Foz do Iguaçu
Carnaval de rua 2022 é oficialmente cancelado em Foz do Iguaçu
(Foto: Reprodução/Prefeitura de Foz do Iguaçu)

1 de dezembro de 2021 - 21:20 - Atualizado em 1 de dezembro de 2021 - 21:45

O Comitê de Crise ao Enfrentamento à Covid em Foz do Iguaçu se reuniu nesta quarta-feira (01), para tratar das novas medidas de contenção à doença após as confirmações da circulação da variante Ômicron no Brasil. A principal medida foi o cancelamento do carnaval de rua em 2022 para evitar uma maior propagação do vírus.

De acordo com o prefeito Chico Brasileiro, a medida segue a mesma linha de outros destinos turísticos do Brasil que também cancelaram o evento, como capitais do Nordeste, além de cidades em Minas Gerais e São Paulo.

“Mesmo sendo uma festa daqui a três meses, iniciaríamos agora as tratativas, negociações e planejamento para o carnaval do ano que vem. Portanto, não há como pensar em organizar agora, com um cenário incerto para essa variante. No momento, é necessário tomar essa medida”,

afirmou o prefeito.

A secretária de saúde, Rosa Jeronymo, reforçou que o cancelamento é importante para a prevenção, mas que o atual momento segue com números positivos de combate ao vírus, como a redução da média móvel para menos de 8,7 casos diários e quase 100% da população completamente imunizada – com as duas doses da vacina.

Passaporte sanitário

A exigência do passaporte sanitário, que comprova a vacinação completa, também foi pauta da reunião. O comitê se reunirá com representantes dos sindicatos e associações do comércio, turismo, hotelaria e gastronomia para a construção de um termo para cidade e definição dos métodos de cobrança.

O prefeito disse que o mesmo documento poderá ser cobrado na Ponte da Amizade, após uma reunião com os gestores paraguaios nos próximos dias.

“Nos preocupa muito o baixo índice de vacinação no Paraguai, então vamos articular com os governos vizinhos alguma forma de proteger ambos os lados e incentivar a vacinação. Vamos ver de perto o que está acontecendo e esperamos, também nesse caso, chegar a um acordo justo de parceria”,

salientou Brasileiro.